Ações

Aíamá

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Aíamá

Rio afluente m.e. do 'Iaguarĩ Vulgo Maria Farinha' (Rio Barro Branco).


Natureza: rio.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARANAMBVCA.


Nomes históricos: Rio Aiamá (Aíamá; Aiama; Ajama; Angama; Aniana), Rio Inhamã.


Nomes atuais:

  • Arroio Caité, no alto curso;
  • Arroio Desterro, no baixo curso.

Vide mapa IBGE Geocódigo 2600054 Abreu e Lima-PE.


Citações:

►Mapa IT (Albernaz, 1626/1627), plotado sem nome, afluente m.e. do rio 'Maria Farinha'.

►Mapa IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA - plotado como 'R. Anjama', afluente m.e. do 'R. JԐguaribԐ' ('Rº. Maria ƒarajnha.' na barra no oceano).

►Mapa IT PROVINCIA DI ITAMARACÁ, plotado como 'R Aniana', afluente m.e. do 'Iaguaribÿ' ('R. Maria Farina' na barra).

►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, 'Aiama', afluente m.e. do 'Iaguari' ('Iaguari Vulgo Maria Faruba' na barra).

(Nieuhof, 1682), cita o engenho situado na margem desse rio, ao reportar as ações dos neerlandeses no dia 7 de julho de 1645:

@ pg. 184:

"No mesmo dia Hartsteyn marchou com um destacamento de 90 soldados e 30 brasileiros das guarnições de Recife e Itamaracá para Ajama e Jaguaribe (257), à procura dos rebeldes. Não encontrando, porém, nenhum revoltoso, regressou por volta do meio-dia e, na noite seguinte, marchou em direção às tropas de Haus.".

@ pg. 184, Nota de José Honório Rodrigues:

"(257) Nieuhof escreveu Ajama e Jegoaribi (p. 99, l.a col., últ. §). Em Vingbooms (XCVII, vol. II, mapa 47, Itamaracá), são registados o rio Angama e os engenhos Aujama e Aujama de Baixo, e o rio e engenho Jeguaribi. Alfredo de Carvalho regista Jaguaribe, como corr. de yaguár — y — pe, no rio da onça (p. 49). É um braço do rio Maria Farinha, na ilha de Itamaracá. No Breve Discurso (XV, p. 141), segue-se um légua ao norte do Tapado, o Rio Doce. Duas léguas ao norte deste rio, o rio Ajama e uma légua adiante o lguarassu.".

(Câmara Cascudo, 1956), pg. 184-085:

"Para o norte: — Rio Tapado, Paratiji ou Rio Doce, Ponta do Pau Amarelo, onde os holandeses desembarcaram para a invasão em fevereiro de 1630, e logo o Iaguari, vulgo Maria Farinha (47).

Nessa reentrância passam as águas do Aiama, com um afluente, o Guararé, o Iaguari (Jaguarí) e o Mariguí.".

(Melo, 1931), pg. 201:

"INHAM× (...) — "Corr. y-nha-mã, círculo d'água, rodeio d'água, água em torno" — (Th. S. Ns. Ms.) — A. C.".


Citação deste verbete

Autor do verbete: Levy Pereira

Como citar:PEREIRA, Levy. "Aíamá". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/A%C3%ADam%C3%A1. Data de acesso: 18 de abril de 2019.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)