Ações

A CAPITANIA DE PARAIBA

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


A CAPITANIA DE PARAIBA

'Capitania de Paraiba' no MBU.

Capitania situada entre 'A CAPITANIA DE ITÂMARACÂ' e 'A CAPITANIA DE RIO GRANDE'.


Natureza: capitania.


Mapas:

PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE;

PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARAIBA.


Nomes históricos: A CAPITANIA DE PARAIBA; Capitania de Paraiba; PRÆFECTURA DE PARAIBA.

Criada como Capitania de Sua Magestade, o Rei de Portugal, com territórios desmembrados da Capitania de Itamaracá e da Capitania do Rio Grande em torno de 1574.


Nome atual: Estado da Paraíba.

Plotada nos mapas:

♦ BQPPB - 'BRASILIA QUA PARTE PARET BELGIS', mapa mural, plotada como 'CAPITANIA DE PARAIBA.', situada entre 'A CAPITANIA DE ITÂMARACÂ.' e 'A CAPITANIA DE RIO GRANDE.'.

♦ MBU - 'MARITIMA BRASILIÆ UNIVERSÆ', plotada como 'Capitania de Paraiba', compreendida no 'BRASILIA SUB REGIMINE BATAVORUM.' e situada entre a 'Capitania de I. Tamaraca' e a 'Capitania de Rio Grande'.

♦ PB-RG - 'PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE', plotada como 'A CAPITANIA DE PARAIBA.', com os limites da parte representada:

□ norte: 'Os marcos', linha demarcatória com a Capitania do Rio Grande, cujo marco leste fica nas cercanias das lagoas 'Vpabuna (lagoas)' (uma dessas lagoas hoje é denominada Lagoa das Negras e a praia se chama Praia da Pavuna) e o marco oeste está, ou estava, na região atualmente conhecida como "Os Marcos", próximo às margens do rio 'Guaicĩ '(localmente chamado de Rio da Canoa, efetivamente é o alto curso do rio Guajú, da nascente até receber o rio 'Ĩiriuna' (hoje, rio da Volta);

□ sul: 'Os marcos', linha demarcatória com a Capitania de Itamaraca, cujo marco leste situa-se na m.e. da barra do 'Capiiarĩ mirĩ' (Rio Goiana) e o marco oeste na m.e. do 'Cupéçúra' (Rio Cupissura).


Citações:

(Moreno, 1612), trata dos limites originais da Capitania, situando-os, ao sul, com a Capitania de Itamaracá, no 'Rio Itaperobu' ('Ipopóca' do BQPPB, atual Rio Taperobus), e, ao norte, com a Capitania do Rio Grande, no 'Rio Iaguahu' - 'Rio Garaú' - 'Rio Gaiaú' ('Guajeĩ' do BQPPB, atual Rio Guaju):

@ pg. 71:

"PRAÍBA, CAPITANIA DE SVA MAGESTADE.

Mais ao norte de Itamaracá pelo dito Rio Itaperobu começa o distrito da Praíba, e acaba correndo a costa no Rio Garaú, que se assinala a fol ... no ponto C, donde por mandado de Sua Magde. se assentou a demarcação entre esta Capitania, e o Ryo grande em tempo do governador dom Diogo de meneses.".

@ pg. 73:

"Tem esta Capitania mais para O Norte na barra do Rio Moguaõgape; hua barra, ou entrada por entre os Recifes nouamente achada cõ tres braças de prea már, q' se se ve na carta fol ... no ponto ... Tem dentro bom ancoradouro, mas cõ pouco fundo; a bahia da treiçaõ hé desta Capitania q' se mostra na mesma Carta no ponto ... E assy mais há Bahia fermosa, e tudo Oq' corre de Costa de Camaratuba; e o dito Rio Gaiaú donde se acaba sua demarcaçaõ.".

Nota:

A 'Bahia fermosa' ('Guaratapeiuba ou Baya Fermosa' no BQPPB, atual Baia Formosa, no RN) está plotada no mapa RG (Albernaz, 1626/1627) (Rio Grande) & PRANTA DO FORTE QVE DEFENDE A BARRA DO RIO GRANDE ao sul da barra do 'Rio Iaguahu' - 'Rio Garaú' - 'Rio Gaiaú' ('Guajeĩ' no BQPPB, atual Rio Guaju) - efetivamente esta baia se situa ao norte da barra desse rio e situa-se na Capitania do Rio Grande.


►(Herckmans, 1639) RIAHGP, pg. 239-240:

"A Capitania da Paraiba, situada ao norte de Pernambuco, é uma das principais províncias do Brasil. Entre os seus limites e os de Pernambuco fica a Capitania de Itamaracá que com ela confina pelo sul; ao oriente o mar oceano ou mar do Norte, como os espanhois o denominam; ao norte a Capitania do Rio Grande, e para o ocidente estende-se pelo sertão a dentro até onde os moradores a quizerem povoar, o que até o presente não se observa senão até ás montanhas da Ocupaoba.

Em aguas, ares e fertilidade é esta Capitania uma das regiões mais saudaveis do Brazil, e em todos os tempos tem sido populosa e bem povoada pelos naturais da terra, chamados Pitiguares. Depois do seu descobrimento foi occupada pelos franceses, que durante largos anos fizeram o tráfico de algodão e pau-brasil com os habitantes. Foram os francezes expulsos pelos portuguezes, e estes, por sua vez, vencidos pelos livres neerlandeses. No tempo dos Portuguezes fez-se dessa região uma Capitania, o que quer dizer província onde tem mando um capitão, assim como ainda se dá a mesma denominação a todas as províncias do Brasil. Esse capitão é designado pelos Portuguezes com o titulo de capitão-mór, isto é, capitão superior, pois que ele tem outros capitães sob o seu mando. O capitão-mór estava investido da suprema autoridade sobre a milícia e a polícia, e de três em três anos era mudado pelo rei de Hespanha.

Essa região ou capitania tem o nome de Paraiba, que é uma palavra barbara, ou melhor brasílica, significando um mar corrompido, uma agua má, outrosim um porto mau para se entrar, e, segundo explicam as pessoas mais versadas nessa lingua, quer dizer «um porto sinuoso, cuja entrada é má»; pois Para quer dizer rio ou porto com uma curva, e yba significa mau, donde se segue que esse rio, o maior dessa região, tira o seu nome da bocca ou entrada sinuosa que tem, e por sua vez a região tira o seu nome do rio, que se chama Paraiba.".


(Pereira da Costa, 1951), Volume 7, Ano 1799, pg. 45-46, esclarecendo sua situação política entre 1684 e 1799, e informando quando a região de Nossa Senhora da Taquara foi desmembrada de Pernambuco e incorporada à Paraíba (essa região, nos mapas do período nerlandês, pertencia à Capitania da Paraíba, mas se subordinava à freguesia de Goiana, na Capitania de Itamaraca):

"JANEIRO 17 — Carta régia da rainha D. Maria, separando as capitanias da Paraíba e do Ceará da subordinação em que se achavam da de Pernambuco, ...

...

A capitania da Paraíba foi incorporada ao govêrno-geral da Bahia em 1684, e depois ao da capitania de Pernambuco por deliberação do Conselho Ultramarino de 29 de dezembro de 1755, para cuja execução baixou uma provisão régia em 1 de janeiro imediato, dirigida ao governador da dita capitania da Paraíba, ponderando que, por se ter conhecido os poucos recursos de que dispunha a sua provedoria da fazenda para sustentar um governo separado, fora resolvido extinguir o dito governo, e que acabado o seu tempo ficasse a mesma capitania sujeita ao governo de Pernambuco, pondo-se nessa da Paraíba um capitão-mor com igual jurisdição e soldo ao que tinha o do Rio Grande do Norte.

Por provisão de 12 de dezembro de 1687 foi criada uma ouvidoria-geral na capitania da Paraíba, cujo termo compreendia também as do Rio Grande do Norte e de Itamaracá, e as Goiana, Tejucupapo e Itamaracá, e os curatos de Caricé e Itambé. Destas paróquias perdemos a de N.S. da Penha de Taquara, que em virtude do Decreto n. 1.414 de 14 de agosto de 1867 foi incorporada à Paraíba, e cujo território, que pela costa ficava entre as barras dos rios Abiaí e Goiana, passou esta, rio acima, a servir de limites entre os dois estados de Pernambuco e Paraíba.".

(Câmara Cascudo, 1956), pg. 220-221:

"Tinha, em 1634 ao ser invadida, dezoito engenhos (o SOMMIER DISCOURS nomeia vinte), com mil habitantes em sua cidade, três Igrejas e três Conventos. Servaes Carpenter, seu primeiro Diretor, comparou-a a Gertruydenbergh, na Holanda, descrevendo-a com orgulho, grande, ampla, luminosa, com casas sólidas, soleiras, esquinas, ombreiras de cantaria de dois pés de espessura nas paredes de alvenaria, branquejadas de cal, dois andares, belos edifícios ... E por todo território abundância de víveres, pesca, caça, frutos, raízes feculentas, e uma riqueza em madeiras de lei, desvanecedora do fiel Brandônio no primeiro dos "Diálogos."

Em 1638 recebeu brasão d'armas, seis pães de açúcar, postos em pala, na série de três, dois e um. Parahyba sacchareorum panum formas pyramidales praeferebat. Quod optimi & laudatissimi sacchari nutricula esset, ant quod dedita nostratibus província, major illie sacchari & molarum coeperit esse labor & precium, comenta Barléu.".

Citação deste verbete

Autor do verbete: Levy Pereira

Como citar:PEREIRA, Levy. "A CAPITANIA DE PARAIBA". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/A_CAPITANIA_DE_PARAIBA. Data de acesso: 23 de abril de 2019.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)