Ações

Alpoins

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Alpoins

Engenho de bois com igreja, na m.e. do 'Mongaguaba' (Rio Manguaba).


Natureza: engenho de bois com igreja.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARANAMBVCA.


Jurisdição: Vila do Bom Sucesso do Porto Calvo.


Nomes históricos: Engenho dos Alpões (Alpoins).


Nome atual: possivelmente Usina Santa Maria.

  • No mapa IBGE Geocódigo 2707305 Porto Calvo-AL, a Usina é denominda USINA SANTANA.


Citações:

►Mapa PE-C (IAHGP-Vingboons, 1640) #40 CAPITANIA DE PHARNAMBOCQVE - plotado com o símbolo de engenho, sem nome, na m.d. do 'R. Mangoanĭ' (Rio Manguaba).


►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, 'Alpoins', na m.e. do 'Mongaguaba' (Rio Manguaba).


(Nassau-Siegen; Dussen; Keullen - 1638), pg. 80:

"ENGENHOS DE PERNAMBUCO

Em Porto Calvo

2, dos Alpões;".


(Dussen, 1640), pg. 161:

"ENGENHOS DE PERNAMBUCO

Na jurisdição de Porto Calvo

107) Engenho dos Alpoins, está arruinado.".


(Calado, 1648), Volume 1, Livro Primeiro, Capítulo III, pg. 73 descreve os embates com os neerlandeses, no ano de 1636, nomeando como senhor desse engenho a Francisco de Faria de Alpoem:

"Chegou o Rebelinho ao rio Mocaita, duas léguas em distância da povoação, e deixando o caminho ordinário tomou por um atalho, e veio surdir menos de meia légua da dita povoação, detrás do outeiro da casa de Amador Alvres para a parte do engenho de Francisco de Faria de Alpoem.".

  • Nota: O mapa PE-C (IAHGP-Vingboons, 1640) #40 acima citado tem plotado o caminho (atalho) entre o rio Mocaitá e o engenho dos Alpõem.


(Relação dos Engenhos, 1655), pensões dos engenhos da Capitania de Pernambuco, pg. 241:

"Engenhos da Vila do Bom Sucesso do Porto Calvo

...

Engenhos a monte e arruinados da vila acima do Porto Calvo

...

- O engenho dos Alpões pagava trinta arrobas de branco encaixado, posto no passo.".


(Diegues Jr, 1949), pg. 65:

"Quase o mesmo sucede com o engenho dos Alpoins, que, aliás, estava arruinado. O quase vai por conta de havermos encontrado dois Alpoins nas «Denunciações de Pernambuco». Um, Cristóvão Alpoim, é vereador da Câmara (69); outro, João Alpoim é morador na freguesia de Santo Amaro (70). Um João Alpoim aparece citado por Laet entre os senhores de engenho que, em 1635, receberam intimação dos holandeses (71). Talvez se trate de uma mesma pessoa; o morador de Santo Amaro e o senhor de engenho nas Alagoas.

(69) Primeira Visitação, cit.

(70) idem, idem.

(71) Cf. Laet, cit.".


(Cabral de Mello, 2012):

@ pg. 135, Os engenhos de açúcar do Brasil Holandês, I - Capitania de Pernambuco, Porto Calvo:

«2) ALPÕES, ENGENHO DOS. Sem indicação de orago. Sito à margem esquerda do Manguaba. Engenho de bois. Pagava de pensão trinta arrobas de açúcar branco encaixado e posto no passo. Em 1582, João de Alpoim era vereador de Olinda; e em 1593, ele e o irmão Cristóvão d'Alpoim ainda residiam na vila. O engenho, cujo nome indica cossenhorio, foi provavelmente fundado por eles em data posterior a 1609. Safrejava em 1623, quando pertencia a Estêvão d'Alpões, produzindo 1865 arrobas. Em 1635, pertencia a Francisco de Faria d'Alpões. Em 1637, estava arruinado, e ainda se encontrava no mesmo estado em 1655.(104)».

@ pg. 186, Notas:

«(104) "Livro do tombo", p. 236; RPFB, p. 206; FHBH, I, pp. 30, 80, 161, 241; II, pp. 183, 196, 457-8; RCCB, pp. 59, 156; MDGB, p. 261; VWIC, IV, pp. 163, 208, 219; DN, 15.IV e 17.IX.1647, 6.IV, 5.V, 8.VII, 12.VIII, 12, 19, 30.XI e 7.XI1.1649, 10, 17.I.1650; "Generale staet", ARA, OWIC, n. 62; VL, I, pp. 127-8, 325; II, pp. 109, 179, 199; NP, I, p. 100; Gonsalves de Mello, Tempo dos flamengos, p. 189; Diégues Jr., O bangüê nas Alagoas, pp. 30, 67-8.».

Citação deste verbete

Autor do verbete: Levy Pereira

Como citar:PEREIRA, Levy. "Alpoins". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Alpoins. Data de acesso: 21 de abril de 2019.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)