Ações

Capitania da Ilha Grande de Joanes

De Atlas Digital da América Lusa

por Manoel Rendeiro
Este site foi criado em uma Universidade Federal (UnB) e produz conteúdo de qualidade para todos (com a participação de diversos professores de outras instituições federais!).
Valorize esse patrimônio!
Diga não aos cortes!


A Capitania da Ilha Grande de Joanes, assim foi mencionado no primeiro documento[1], datado no dia 2 de maio de 1676 em Lisboa, que faz menção ao termo de capitania para essa região.

A constituição da Capitania da Ilha Grande de Joanes está inserida no contexto da administração do Estado do Grão-Pará e Maranhão, ao qual era subordinada. A subordinação de Joanes se estendia à Capitania do Pará de acordo com o testemunho do padre João Felipe Bettendorf, em 1661, porém os dados estão abertos à dúvidas.[2]

Sua concessão e criação é ligada ao donatário Antônio de Souza Macedo, em 23 de dezembro de 1665. A carta de doação outorgava ao donatário da capitania o direito de vida e morte sobre os habitantes da região, além de poder remeter 48 escravos anuais para o Reino.[3]


Capitania de Grão-Pará






Bibliografia selecionada da Capitania de Grão-Pará


Referências

  1. AHU-Pará, D.166.
  2. LOUREIRO, Antônio José. Síntese da história do Amazonas. Manaus: Imprensa Oficial, 1978.
  3. LOUREIRO, Antônio José. Síntese da história do Amazonas. Manaus: Imprensa Oficial, 1978.



Citação deste verbete
Autor do verbete: Manoel Rendeiro
Como citar: RENDEIRO, Manoel. "Capitania da Ilha Grande de Joanes". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Capitania_da_Ilha_Grande_de_Joanes. Data de acesso: 24 de maio de 2019.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página