Ações

Cupéçúra (engenho)

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Cupéçúra

Engenho de bois sem igreja, Engenho Cupissura, na m.d. do 'Cupéçúra' (Rio Cupissura).


Natureza: engenho de bois sem igreja.


Mapas:

PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ;

PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE.


Capitania: PARAIBA.


Jurisdição: Capitania de Itamaracá - Freguesia de Abiaí e Taquara


Nomes históricos: Engenho Copissura (Cupissura, Cupéçúra, Cupeçura).


Nome atual: Povoado Cupissura.

Vide mapa IBGE Geocódigo 2503001 Caaporã-PB.

Citações:

►Mapa IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA, plotado como engenho, "'Ԑ CapԐssura', na m.d. do 'Rº. CapԐssiԐra'.


►Mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640) #49 CAPITANIA DE PARAYBA, plotado como engenho, "'CapԐssura Ԑ', na m.d. do 'Rº. CapԐssirra'.


(Nassau-Siegen; Dussen; Keullen - 1638), pg. 91:

"Engenhos de Abiaí e Taquara

A segunda freguesia desta capitania de Itamaracá é a de Abiaí e Taquara, sob a invocação de Nossa Senhora da Penha de França; aí se encontram os seguintes engenhos:

...

10. Engenho Copissura, que pertenceu a D. Brites. Está há muitos anos de fogo morto, e as suas terras são somente próprias para pasto. Confiscado e vendido a Hans Willem Louisen. ".


(Dussen, 1640), pg. 167-168:

"Na freguesia do Abiaí

Abiaí e Taquara têm os seguintes engenhos:

...

131) Engenho Copissura, todo arruinado, pertencente a Joost van den Bogaert, não moerá. ".


(Cabral de Mello, 2012):

@ pg. 150, Os engenhos de açúcar do Brasil Holandês, II - Capitania de Itamaracá, Abiaí-Tejucopapo-Araripe:

«1) COPISSURA. Sem indicação de orago. Sito à margem direita do riacho homônimo. Sem indicação da força motriz. Moía em 1609, pertencendo a Jerônimo Rodrigues, comerciante de açúcar. Em 1623, o engenho de Jorge Rodrigues produzia 3552 arrobas. Quando da ocupação holandesa, pertencia a certa d. Brites, provavelmente viúva de Jerônimo ou Jorge Rodrigues, mas estava "há muitos anos de fogo morto e as suas terras são somente próprias para pasto". Em 1637, as "terras de Copissura" com o gado nelas existente foram vendidas ao sargento-mor dos índios, Hans Willem Louisen, juntamente com os engenhos de Goiana e Jacaré, por 77 mil florins em sete prestações anuais. Em 1638, de regresso à Holanda, Louisen repassou o Copissura e os dois outros engenhos a Joost van den Bogaert. Em 1639, "todo arruinado [...] não moerá". Evacuado em 1646.(10)».

@ pg. 189, Notas:

«(10) LSUR, p. 65; RPFB, p. 196; FHBH, I, pp. 31, 91, 167; RCCB, pp. 67, 160; DN, 3o.V.1637, 14.I e 3o.VI.1638; "Vercochte engenhos", ARA, OWIC, n. 54; "Generale staet", ARA, OWIC, n. 62.».






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Cupéçúra (engenho)". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Cup%C3%A9%C3%A7%C3%BAra_(engenho). Data de acesso: 17 de setembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página