Ações

Iacĩoba

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Iacĩoba

Curral na m.e. do 'Parapĩtinga ou Rio de S.Francifco' (Rio São Francisco), junto ao 'Suyckerbrood' (Morro do Cristo).


Natureza: curral.


Mapa: PRÆFECTURA DE CIRÎÎĬ, vel SEREGIPPE DEL REY cum Itâpuáma.


Capitania: PARANAMBVCA.


Nomes históricos: Iacĩoba; Jasuaba (Iaçuaba); Iasuava (Iaçuava); Tacioba.

É o local onde se estabeleceu a povoação e o porto para embarque do salitre explorado no início do século XVII na então chamada Serra de São Gregório.


Nome atual: possivelmente é a Fazenda Pau Ferro, próxima à foz do Rio Boqueirão - vide mapa IBGE Geocódigo 2706403 Pão de Açúcar-AL.


Etimologia:

(Guaraná, 1916):

@ pg. 310:

"JACIOBÁ — Lagoa e Povoado em Porto da Folha. Vide Jassubá.".

@ pg. 311:

"JASSUBÁ ou JACIOBÁ — Vide este último nome. Yas-subá: yá-cybá, fruto liso.".

Citações:

►Mapa RSF (Albernaz, 1626/1627) RIO DE SÃO FRANCISCO, plotada sua foz, onde há o porto assinalado com as letras BB, 'BB - Porto de Iasuava q vai pera osalitre', a montante da 'Ilha do Ouro', e na m.e. do 'RIO DE SAÕ FRANCISCO'.

(Moreno, 1612), LIVRO QUE DÁ RAZÃO DO ESTADO DO BRASIL, pg. 53:

"Da banda do norte deste Rio começa a Capitania de Pernambuco, (e ele é) todo em si navegável da barra até as cachoeiras, (onde) se tem sessenta léguas ocupadas de tantas nações de Índios bárbaros, a que chamam Tapuias, que apenas se entendem uns com os outros, pelo que ainda hoje se faz trabalhoso de penetrar (.) Dom Diogo de Meneses a respeito de fazer navegável o salitre que se acha na serra de São Gregório assinalada na carta seguinte no ponto + (uma cruz) e para poder cultivar as minas tratou por via de línguas, e homens práticos do sertão, e a amizade de todas aquelas gentes, e mandou fazer na entrada da barra, o forte se ve na volta dessa folha, e na dita carta se assinala com o ponto S. Também mandou a um Manoel de Miranda, grande língua dos Índios, que povoassem com pitigares, que tinha junto de diversas partes, um sítio ao pé das serras, que chamam do Aracare, e que juntamente levasse gente branca a dita povoação, como de feito levou essa feita (.) Vai por três anos em que estão plantados muitos mantimentos para o bem do trato do dito salitre, este lugar se assinala na dita carta com as letras AA. Deste sítio se povoou o ano passado de seiscentos e onze com outra aldeia de gente branca o sítio de Jasuaba, que se mostra no ponto BB. E desde aí até as minas da serra de São Gregório está aberto o caminho para gente de pé e cavalgaduras, por maneira que para se cultivar o dito salitre, só faltam os mineiros, e ordem para fazer-se, que segundo o que tem mostrado a terra, será negócio da maior importância que o do Pau brasil além de se ficar escusado o comprar-lo a estrangeiros.".

(Câmara Cascudo, 1956), pg. 161-162:

"O rio S. Francisco, do lado alagoano, era parcamente conhecido para o olho flamengo. O topônimo inicial é a Ilha do Ferro, seguem-se dois rios, o Ibitipuruã-cunhã e o Ipitinga, ladeados por uma cordilheira que deve ser a serra do Pão de Açúcar, nomeada Ibitipuruã-cunhã. Abaixo do rio Ipitinga, o canal Tacioba e plantios, Suyckerbrood, pão de açúcar em holandês.".


Notas:

1) Na imagem do BQPPB não há desenho de canal próximo de onde está escrito 'Iacĩoba' - nesse mapa, este topônimo está escrito próximo a um símbolo de curral.

2) Interpreta-se 'Iacĩoba' do BQPPB = 'Iasuava' do RSF (Albernaz, 1626/1627) RIO DE SÃO FRANCISCO.

3) O mapa RSF (Albernaz, 1626/1627) RIO DE SÃO FRANCISCO indica o caminho e a localização da fonte (mina) de salitre (ingrediente para fabricação de pólvora negra), assinalando:

- Com as letras BB, o 'Porto de Iasuava q vai pera osalitre';

- Com as letras CC. o 'Caminho do Salitre até as serras de S qugrorio' (serras de São Gregório), uma linha reta, que certamente é auxiliar para facilitar a visão da posição dessa serra;

- Com as letras II, 'Rio de Cabaços q dece daserra de leraca (travaço', que é cortado pela linha reta do 'CC - Caminho ...';

- Com o sinal de uma cruz, sobre o desenho de serras, 'S: gregorio'.

3) A etimologia em (Guaraná, 1916) confirma Iacĩoba = Jasuaba (Iaçuaba), o porto BB de Albernaz, na m.e. do grande Rio, mas a referência surpreende, mostrando que esse topônimo também está na m.d., em Sergipe, no município de Porto da Folha de 1916 - teria o primitivo curral também evoluído em povoado, em frente, do outro lado do rio?






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Iacĩoba". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Iac%C4%A9oba. Data de acesso: 4 de abril de 2020.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página