Ações

Iauapóatá

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Iauapóatá

Iavapóatã

Iauapóatã

Rio com barra no Oceano Atlântico.


Natureza: rio.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARANAMBVCA.


Nome atual: Rio Jaboatão.


Nomes históricos: Iauapóatá (Iavapóatã; Iauapoatã; Iauapóatã; Iaucpoata; Iarapóata); ∂jiboatao; Param putínga; Janga∂a; Rio das Jangadas; Sanga∂o; Estremo e R. d. Ɛ∫tremo (na foz).

Citações:

►Mapa PE (Albernaz, 1626/1627), desenhado, 'R: Param putínga', barra no oceano entre 'Cabo de Pº cabarigo' e 'CABO DE S: AGOSTº'.

►Mapa REC (Albernaz, 1626/1627), desenhado, 'R: do Estremo', com sua foz praticamente em frente da 'Barreta' (abertura na linha de recifes no porto do Recife-PE).

  • Nota: estes mapas cujo original foi desenhado em 1612 apresentam vários casos de posicionamentos imprecisos.

►Mapa PE-C (IAHGP-Vingboons, 1640) #40 CAPITANIA DE PHARNAMBOCQVE, plotado, 'Rº. ∂jiboatao' (ou 'Rº. Ԑjiboatao', a letra inicial está difícil de interpretar na imagem utilizada neste trabalho), 'R.Janga∂a' na barra, 'Rº. Janga∂a' próximo à foz, onde estão plotadas duas ilhas fluviais sem nome.

►Mapa Y-41 (4.VEL Y, 1643-1649) De Cust van Brazil tusschen Cabo St. Augustijn ende hoeck van Pommarel, desenhado, 'Rº Sanga∂o:'.

►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, barra no oceano com os nomes 'Iaucpoata', 'Iarapóata' e 'R. ᵭ Estremo' (na foz).

(Margrave, 1640), ITINERÁRIO, pg. 199, informa que o caminho deixa o litoral e dirige-se ao interior, em direção ao Rio Jaboatão que é transposto por uma ponte, a qual dista 2 1/2 h da 'casa junto aos coqueiros', e dessa ponte se leva mais 1 h para se chegar ao Engenho Velho ('Velho' no BQPPB).

(Laet, 1637), Interrogação de Bartolomeu Peres, e situação ao redor e perto de Pernambuco, tanto ao sul como ao norte, pg. 126:

"Quatro léguas ao sul do Recife está o riacho Rio das Jangadas; nele há 7 a 8 pés de água, por onde os barcos entram terra adentro por uma légua, onde carregam os açúcares de João Pais; cujos açúcares são transportados ao rio por uma distância de meia légua. Pelo que saiba, esse rio não tem guarnição. O tal João Pais lá possui dois engenhos, e foi senhor de nove engenhos; deixou um a cada um dos seus filhos.".

(Câmara Cascudo, 1956), pg. 183-184:

"Na embocadura a que chamamos Das Duas Barras, caem três outros rios: — o Iuripraxaca (Jurissaca), o Pirapama e o Iauapoatã (Jaboatão).".

(Melo, 1931), pg. 204:

"JABOATÃO — (Rio, Mun. e cidade) — "Antigamente Iauapoatã. que se decompõe em Iauá-poatã. Yaua é a forma contrata de yaguá, que é o mesmo yaguara, perdendo este a última sílaba ao entrar em composição; poatã ou pó-atã, quer dizer mão rija, mão firme. Portanto, yauá-poatã quer dizer mão rija de onça, mão dura de onça. Como, porém, o nome indígena se aplica a um fruto espinhoso, de fibra dura, reconhece-se que o selvagem o compara ou equipara a uma mão áspera como a da onça com as suas unhas estendidas (Th. S., Ns. Ms.) — A. C.

Th. Sampaio apresenta também ia-poatã, o indivíduo linheiro, o tronco reto. Prefiro a interpretação de Rod. Garcia: ia, o que tem, bo, fibra, afã, forte, isto é, o vegetal de fibra forte — M. M.".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Iauapóatá". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Iauap%C3%B3at%C3%A1. Data de acesso: 20 de março de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página