Ações

Mdanella

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Mdanella


Natureza: casa


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ


Capitania: PARANAMBVCA

Casa, próxima à costa, no vale 'Paratiji ou R. Doce'.

Nome histórico:' Mdanella (Madanella, Ma∂anԐlla).


Nome atual: a casa está destruída e área urbanizada - bairro do Rio Doce, na cidade de Olinda-PE.

Citações

►Mapa IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA- plotada com o símbolo de casa, 'Ma∂anԐlla'.

►Mapa IT (Orazi, 1698) PROVINCIA DI ITAMARACÁ, plotada, sem símbolo, 'Madanella', ao sul do 'R. Paratibi ('R. doce' e 'Paratiij' na barra).

►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotada como engenho, 'Madanella', ao sul do rio 'Paratiji' (Paratiji ou R. doce' na barra).

►(Pereira da Costa, 1951), Volume 1, Ano 1569, pg. 382, faz referência Madalena Furtado de Mendonça, que teve notoriedade, pois chegou a denominar pontos geográficos ao norte do Rio Paratibe (Praia de Madalena Furtado, Barreta de Madalena Furtado). Apesar de que não há menção de terras ao sul desse rio, onde se situa essa casa, ela foi é uma pessoa bastante conhecida na área e que comprovadamente viveu nessa época, assim é possível que esse topônimo também esteja relacionado ao seu nome:

"Gomes Correia teve mais a concessão de uma data de terra no litoral, cujo documento, perdendo-se com a invasão dos holandeses, suas filhas Madalena Furtado de Mendonça e Maria de Mendonça Furtado, casada com Luís da Mota de Sousa, requereram e obtiveram da câmara de Olinda uma carta de ratificação da sesmaria concedida a seu pai, lavrada a 23 de junho de 1646, mediante o foro de mil réis anuais, acusando então o novo documento, que essas terras se estendiam da praia de Pau Amarelo até Ponta de Pedras, e tinham duzentas e cinqüenta braças pela terra dentro.

Com o falecimento de Madalena Furtado, passaram aquelas terras à posse exclusiva de sua irmã Maria de Mendonça Furtado, depois a um Simão Furtado, e por fim ao convento do Carmo de Olinda, por venda feita pelos seus possuidores em 1694. Numa relação de bens patrimoniais daquele convento, de 1745, vem assim mencionada aquela propriedade: Umas terras na Praia da Madalena Furtado.

É daquela Madalena Furtado de Mendonça, co-proprietária das referidas terras, por herança paterna, que vinha a denominação de Praia de Madalena Furtado, da que tem ora a de "Conceição dos Milagres", imposta a toda a compreensão dos citados limites, mas cujo nome ainda conserva uma barreta situada ao Norte da barra de S. José, em Pau Amarelo. Da Barreta de Madalena Furtado faz menção Vital de Oliveira no seu Roteiro.".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Mdanella". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Mdanella. Data de acesso: 28 de maio de 2020.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página