Ações

Nossa Senhora do Bom Sucesso de Minas Novas do Araçuí

De Atlas Digital da América Lusa

Fundada em 1730, a Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí permaneceu com a mesma configuração até o fim do período colonial. No entanto, a jurisdição sobre a vila mudou devido a disputas entre a Capitania de Minas Gerais e a Capitania da Bahia.

Histórico

Inicialmente a Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí pertencia a Bahia mas estava subordinada judicialmente e politicamente a comarca de Serro Frio. Em 1742, com a criação da comarca de Jacobina na Bahia, a jurisdição sobre a vila foi transferida para nova comarca. Entretanto essa divisão trouxe grandes problemas para a Coroa porque a vila de Minas Novas se transformou em uma rota de contrabando de metais preciosos e gêneros de primeira necessidade para a região mineradora [1]. Em 1757, após muitas solicitações das Minas Gerais, a Coroa ordenou a incorporação da vila a Capitania mineira. Entretanto o ouvidor da comarca de Jacobina concedeu apenas a jurisdição militar da região a Minas Gerais. Em 1760, o Estado Português enviou nova ordem determinando a transferência de toda jurisdição sobre a vila de Minas Novas. A partir de 1760, somente a jurisdição eclesiástica ficou a cargo do prelado da Bahia [2]. Antes de ser elevada a vila, Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí recebeu outras designações. No início do século XVIII a região era conhecida por Nossa Senhora do Bom Sucesso devido a enorme quantidade de ouro e diamantes encontrados pelos mineradores na área. Já na segunda metade dos Setecentos a região passou a ser designada no vocabulário coevo como Fanado de Minas Novas porque o rio que circundava a região possuía falhas em seus veios auríferos [3]. A ocupação da região começou no final do século XVII com a chegada de mineradores na área em busca de metais preciosos. Na década de 1720 o povoamento se intensificou na região devido a perseguição de garimpeiros de diamantes no Distrito diamantífero e a expansão da produção do gado e de alimentos no norte da Bahia e no sul de Minas. Segundo Edneila Rodrigues Chaves[4], a ocupação da região ocorreu por dois movimentos simultâneos de migração: o avanço da pecuária e da agricultura para o interior da América portuguesa e a busca dos paulistas por novas áreas de exploração de metais no território.


Referências

  1. ROMEIRO, Adriana; BOTELHO, Ângela Vianna. Dicionário histórico das Minas Gerais: período colonial. 2a edição revista. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2004
  2. BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995
  3. CHAVES, Edneila Rodrigues. Território das Minas na colonização portuguesa: contato entre culturas e ocupação. In: XXIII Simpósio Nacional de História: Guerra e paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e paz. Programas e Resumos. Londrina: Gráfica Editora Mídia, 2005. v. 23, p. 188-188
  4. CHAVES, Edneila Rodrigues. Território das Minas na colonização portuguesa: contato entre culturas e ocupação. In: XXIII Simpósio Nacional de História: Guerra e paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e paz. Programas e Resumos. Londrina: Gráfica Editora Mídia, 2005. v. 23, p. 188-188



Citação deste verbete
Autor do verbete: Mariana Barcelos
Como citar: BARCELOS, Mariana. "Nossa Senhora do Bom Sucesso de Minas Novas do Araçuí". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Nossa_Senhora_do_Bom_Sucesso_de_Minas_Novas_do_Ara%C3%A7u%C3%AD. Data de acesso: 19 de dezembro de 2018.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página