Ações

Os marcos (marco e linha limitrofes PARAIBA-RIO GRANDE)

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Os marcos

Marcos, ou padrões de pedra, estabeleciam a Linha dos Marcos, demarcatória do limite entre a Capitanias da Paraíba e a Capitania do Rio Grande.


Natureza: marcos e linha limítrofes.


Mapa: PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE.


Capitanias: PARAIBA e RIO GRANDE.


Nomes históricos: Os marcos; Mԑrckstԑԑn.


Dois marcos, ou padrões, estabeleciam a linha do limite entre a Capitania do Rio Grande e a Capitania da Paraíba. Ou entre a Prefeitura do Rio Grande e a Prefeitura da Paraíba na época do domínio holandês.

O marco a leste foi chantado próximo ao litoral, junto às lagoas 'Vpabuna' (Pavuna-Lagoa das Negras), Mataraca-PB, e o marco a oeste, no interior, num local próximo à nascente do Guajú, Canguaretama-RN.

Citações:

►Mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640) #49 CAPITANIA DE PARAYBA, marco oeste plotado como 'Mԑrckstԑԑn' (Marco de pedra), com um símbolo que não consta na 'ßԐtԐrkԐnt' (pouco legível na imagem utilizada neste trabalho) - Legendas, na nascente do rio 'Rº. Agsao'.


►Mapa RG (IAHGP-Vingboons, 1640) #51 CAPITANIA DE RIO GRANDE, marco oeste plotado com um símbolo, 'Mԑrckstԑԑn' (Marco de pedra), na nascente do rio 'Rº. Agsao'.


(Herckmans, 1639), pg. 31-32 :

"Uma légua ao noroeste do passo ou caminho do Ipitanga, além das campinas ou tabuleiros, fica o rio Erioene, ...

Na margem setentrional do mesmo rio, junto ao passo, existe um marco de pedra, no qual está escrito Paraíba na face do sul, e Rio Grande na face do norte, assinalando assim o rio separa as duas capitanias da Paraíba e Rio Grande.".


(Dussen, 1640), pg. 137:

"Em seguida à Paraíba há a Capitania do Rio Grande, marcando o limite um padrão colocado a uma ou duas milhas ao Norte da Camaratuba.".


(Coriolano de Medeiros, 1950), pg. 140:

"Marcos — Nome dado ao rio Guaju, por estar próximo dos marcos divisórios entre Paraíba e Rio Grande do Norte.".


(Câmara Cascudo, 1956), pg. 226-227:

"Depois do rio Camaratuba cai a linha "os marcos" que não coincidem com o rio Guajeí (Guaju), limite há mais de vinte anos com o Rio Grande do Norte, mesmo naquela época.".


(Medeiros, 1997), "OS ANTIGOS MARCOS DIVISÓRIOS DAS CAPITANIAS DO RIO GRANDE E PARAÍBA", pg. 97-98:

[No ano de 1611, o governador d.Diogo de Menezes ordenou a demarcação das capitanias do Rio Grande do Norte e Paraíba, ato de que nos deixou notícia o enviado especial daquele governador, DIOGO DE CAMPOS MORENO, sargento-mor do Estado do Brasil:

"O Anno de 611, se demarcou por ordem do dito Senor, esta capitania, partindo cõ a Praiba pello rio Guaiahug, e pella banda do norte da fortaleza como fica dito pello Rio Guarahug ficando lhe toda a terra, que vay de siara até este Rio por ser deserta e de Areais em que não há cousa de proveito (1).

...

Em um mapa datado de 1638, cujo autor é com muita probabilidade CORNELIS BASTIAANZ GOLIJATH, incluído no Atlas de Vingboons (editado por volta de 1665), aparece o rio Agsao (Guaju), no qual vê-se assinalada a palavra Merchstten (os Marcos), ficando estes na margem setentrional do aludido rio (3).

...

Aos 6 de maio de 1712 foi concedida pelo governo da Paraíba, a data e sesmaria n° 100, a Luís Quaresma Dourado e Salvador Quaresma Dourado, "no rio a que chamão dos Marcos, que divide esta jurisdição e a do Rio Grande do Norte, começando da estrada á que chamam de Uriuna (5)".

NESTOR LIMA, em artigo publicado sobre o município de Canguaretama, nos dá notícia daquele antigo marco de 1611:

"Ainda é conhecido o 'marco' divisório, que, segundo informações fidedignas, está desmontado e, em parte, destruída a coluna, de que só resta outra parte do pé, e, não obstante, fora da sua primitiva localização (6)".

A localidade onde ficava chantado aquele marco tricentenário, chama-se Marcos de Cima, no município de Canguaretama (RN).

(1) CAMPOS MORENO, Diogo de • Livro que dá Razão do Estado do Brasil, p. 77.

(3) WIEDER, F.C. • Monumenta Cartographica, vol. II (Mapa 45).

(5) LIRA TAVARES, João de • Apontamentos para a História Territorial da Paraíba, vol. I, p.79.

(6) LIMA, Nestor • Canguaretama, o Município, p.79.].






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Os marcos (marco e linha limitrofes PARAIBA-RIO GRANDE)". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Os_marcos_(marco_e_linha_limitrofes_PARAIBA-RIO_GRANDE). Data de acesso: 6 de julho de 2020.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página