Ações

Queluz

De Atlas Digital da América Lusa

Queluz

Geometria Ponto

Histórico

Denominação Início Término
Queluz
Populacao > Vila
1790 1808

Fundada em 1790, a Vila Real de Queluz continuou até o final do período colonial com o mesmo território. Antes de ser elevada a vila, o arraial se chamava arraial do Campo Alegre dos Carijós ou arraial dos Carijós. Segundo Antonil[1], o ouro da região do foi descoberto no final do século XVII pelo mulato Duarte Nunes. O descobridor retornou a São Paulo levando a informação do novo descoberto de ouro. Ao saberem da notícia, os sertanistas Manuel de Camargo, Bartolomeu Bueno da Siqueira, Miguel Garcia de Almeida e José Lopes de Camargo organizaram uma expedição a fim de explorar as riquezas minerais encontradas por Duarte[2]. Logo ocorreu um afluxo populacional para a região. No início do século XVIII foi fundado o arraial do Campo Alegre dos Carijós. Em 1789, a população do arraial solicitou ao governador das Minas Gerais, Visconde de Barbacena, a criação de uma vila no local porque a área era distante de outras vilas e isso prejudicava o andamento da justiça. Em 1790, o governador acatou o pedido e instalou a vila com o nome de Vila Real de Queluz no dia 19 setembro de 1790[3].


Palavras-Chave: arraial do Campo Alegre dos Carijós, arraial dos Carijós, Vila Real de Queluz, Visconde de Barbacena.


Referências

  1. ANTONIL, Andre João. Cultura e Opulência do Brasil por suas Drogas e Minas. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1967.
  2. BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995, p.96-97.
  3. BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995, p.96-97.



Citação deste verbete
Autor do verbete: Mariana Barcelos
Como citar: BARCELOS, Mariana. "Queluz". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Queluz. Data de acesso: 15 de dezembro de 2018.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página