Ações

Rº. ∂e Sÿara

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira

[Rº. ∂e Sÿara]

Rio sem nome no MBU, tendo na m.d. o forte 'S._Seba∫tian' (Forte São Sebastião).


Natureza: rio.


Mapa: MARITIMA BRASILIÆ UNIVERSÆ.


Capitania: Siara.


Nomes históricos: Siara; Searà; Rº. Ziera; Rº. ∂e Sÿara; Rio do SIARÁ; Ryo Siara; Rro. Ceara.


Nome atual: Rio Ceará.

Citações:

►Mapa RG-N (Albernaz, 1626/1627), plotado como rio, 'Siara', entre a 'Pta. de S: bertolameu' (Ponta do Mocuripe?) e o 'Forte de Saõ tiaguo'.


►Mapa CE (IAHGP-Vingboons, 1640) #53 CAPITANIA DO ZIERA, plotado, 'Rº. Ziera', tendo na sua m.d. o 'Fort St. Bastia' (Forte são Sebastião) e o povoado 'St. Iago' (São Tiago).


►Mapa Y-59 (4.VEL Y, 1643-1649), plotado, 'Rº. ∂e Sÿara:', a oeste do 'Mongoripo' (Rio Mucuripe) e tendo na sua m.d. o 'St. Bastian:' (Forte São Sebastião).


Mapa CAPITANIA DE SIARA (4.VEL 2156, 1649), desenhado próximo à sua barra e assinalado com o número 12, '12 — Rio do SIARÁ.'.


Mapa CAPITANIA DE SIARA MS. Clarendon 92 fol.179a), plotado como 'Ryo Siara', com barra no 'Marε del Nort.' Oceano Atlântico), a oeste da 'Baye Mucuriba' (Baía Mucuripe).


►Mapa CE-RG (Orazi, 1698) PROVINCIE DI SEARÁ E RIO GRANDE, plotado, 'Searà', entre o 'Mocuripa' (Rio Mucuripe) e o 'Porto de cabo das Serras'.

  • Está plotado na sua m.e., na barra, sem nome, o símbolo de forte.


►(CARTA DA CAPITANIA DO CEARÁ LEVANTADA POR ORDEM DO GOVERNADOR MANOEL IGNACIO DE SAMPAIO, Por seu Ajudante de Ordens Antonio Joze da Silva Paulete - 1818), plotado como rio, barra em 'B. do Ceará', entre a 'Villa da Fortaleza' e 'Rio Cauipe', com barra em 'B. do Cauípe'.


►(Carta Chrorographica da Provincia do Ceará, organisada pelo Dr. Pº. Theberge, 1861), plotado como ribeiro, 'Rro. Ceara', com barra em 'Bra. Velha' (Barra velha do Rio Ceará)., entre a cidade de 'Fortaleza' e 'Bra. Nova' (barra do 'Rro. Poá').


(Laet, 1637), Descrição da costa do noroeste de Brasil entre Pernambuco e Rio Camocipe, do Relatório dos brasilianos, pg. 143:

"A uma légua de Mocuru encontra-se o rio Ceará, com água fresca. Podem entrar nele os iates, desde que não sejam muito grandes, porque os maiores ficariam melhor assegurados na Baía de Mocuru, onde nos podemos comodamente defender e fortificar.

...

Do Ceará terra adentro e a um dia de viagem de Tapirugh acima do dito está a montanha Boraguaba, onde deve haver uma mina de prata, cuja prata Gaspar e Andrés tocaram com as mãos e dizem tê-la reconhecido pela cor branca e consistência. E preciso fixar-se nisso, etc. ".


(Câmara Cascudo, 1956):

@ pg. 277-278:

"Junto às ruínas do forte de S. Bastião (São Sebastião) viviam tuixauas com mulheres, filhos, roçarias. Ali moravam os dois Franciscos, Carajá e Aragiba, olhando o rio Siará, outrora chamado Itarema.".

  • Nota: O mestre Câmara Cascudo chama o Rio Seará de Itarema. O Mapa CAPITANIA DE SIARA (4.VEL 2156, 1649) atribui esse nome ao Rio Maranguape, que nasce nas proximidades do monte Itarema.






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Rº. ∂e Sÿara". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/R%C2%BA._%E2%88%82e_S%C3%BFara. Data de acesso: 17 de setembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página