Ações

Vmaripĩtanga

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Vmaripĩtanga

Aldeia de índios (brasilianos) com sinal de abandonada, nas nascentes do 'Itâpèçirica' (Riacho Santa Cruz), 'Ipooca' (Riacho Luiz Dias), 'Vrupeuna' (Rio Grupiuna), 'Iuiĩaruguereguaba' (Riacho das Balanças) e 'Aĩĩ ou R. da peguiza' (Rio Tinto).


Natureza: aldeia de índios com sinal de abandonada.


Mapa: PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE.


Capitania: PARAIBA.


Nomes históricos: Vmaripĩtanga; Maripitanguá; Maripitanga.


Nome atual: povoado de Maripitanga, á margem da rodovia BR-101, no município de Mamanguape-PB.


Etimologia

umaripitanga, termo de origem tupi, umari-pitanga, umari, uma árvore descrita por Margrave, o umarizeiro ou o mari, e pitanga, a cor vermelha - umarizeiro vermelho.


Nota:

O BQPPB registra as nascentes desses seis rios arrodeando o local dessa aldeia, e assinala cinco deles com o símbolo de fonte - isso comprovadamente ocorre, e essas nascentes situam-se num círculo com raio de 2,2 Km, e, se se desconsiderar o 'Ipooca', o raio desse círculo cai para 1,7 Km, que, aliado à abundância de fontes e em região relativamente elevada, vegetação de campo alto, e matas nos vales, demonstra quão propícia era a situação dessa aldeia.

Citações

(Moreno, 1615), pg. 44, discriminando a resenha de índios guerreiros que participaram na Jornada do Maranhão:

"Logo aos 28 de agosto fizeram resenha da gente dos índios, para ver os que faltavam ao número de 500 frecheiros, quantidade que o de Albuquerque assegurava levar do Rio Grande, para que, com os de Ceará e Buapava, com quem tinha grandes *lianças, pudesse meter na Jornada até mil índios de guerra; e assim se tomou mostra, e pareceram os principais que se seguem:

...

De Maripitanguá, Minaçu, com 7".

(Herckmans, 1639), pg. 30-31:

"Uma légua acima do engenho, vem do sul um pequeno rio chamado Taipitina meter-se no Camaratuba, acima do qual e duas léguas afastadas do dito engenho existiu outrora a aldeia Maripitanga que se acha de presente inteiramente arruinada, e os índios espalhados por outras aldeias.".

NOTAS:

- o engenho referido é o engenho Camaratuba, o 'N S de Rosairo' no BQPPB, o 'Camarituba' no mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640), 'CamartԐuba.' no mapa RG (IAHGP-Vingboons, 1640);

- o pequeno riacho Taipitina é o riacho 'Urubutinga' no BQPPB, nome atual, no baixo curso, Riacho Caiçara, médio e alto cursos, riacho afluente m.d. do Riacho Caiçara.

(Margrave, 1648), História das Plantas, Livro III, Das àrvores, Capítulo XI, pg. 121:

"UMARI (termo indígena). Árvore ...

Dá uma flor. Depois vem o fruto oval, do tamanho da pera maior, ... Este fruto fica maduro em março; cai espontâneamente e é colhido. Comido cru, é prejudicial ao ventre e provoca vômito; porisso costuma ser cozinhado e amassado com o núcleo; então é comido com carne ou peixe, em vez de pão ou farinha. A madeira da árvore é branca, aparentando a da betula. Esta árvore abunda nos campos gramíneos, junto ao rio Cunhao, Mipebi e Rio Grande.".

►Sampaio, Alberto J.: BOTÂNICA, COMENTÁRIOS, in (Margrave, 1648), pg. XLVII:

"UMARI: Segundo CAMINHOÁ, esse nome é de Poraqueiba guianensis Aubi, olácea; segundo PIO CORREA, os nomes umari, mari ou angelim de espinho são de Andira spinulosa Mart., leguminosa.".

(Sampaio, 1904), pg 36:

"MARIPITANGA — é corrupção de Imirá-pitanga, alterado depois em mirá-pitanga e ainda em mari-pitanga, significando o pau vermelho, o pau brasil.".

  • Nota: pau brasil é a ubipitanga, ou ibipitanga, ou ibirapitanga, descrita em (Margrave, 1648), pg. 101-102.






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Vmaripĩtanga". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Vmarip%C4%A9tanga. Data de acesso: 31 de março de 2020.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página