Bertha Lutz - temas

Anything in here will be replaced on browsers that support the canvas element

Política

A Carta das Nações Unidas

Bertha assinou o livro da Carta das Nações Unidas no dia 26 de junho de 1945, em cerimônia realizada na cidade de San Francisco, EUA.

Bertha assinou o livro da Carta das Nações Unidas no dia 26 de junho de 1945, em cerimônia realizada na cidade de San Francisco, EUA.

Origem: UN Photo. (Todos os esforços foram feitos para obter autorização de uso dessa imagem)

Origem: UN Photo. (Todos os esforços foram feitos para obter autorização de uso dessa imagem)

A dor causada pela Guerra recém encerrada na Europa ainda era sentida por milhares de pessoas quando delegados de 50 países se reuniram na cidade de San Francisco para elaborar o documento de fundação da nova organização internacional, que todos esperavam ser capaz de preservar a paz e reduzir as desigualdades entre as nações. Esse momento de grande expectativa foi acompanhado por Bertha, que participou ativamente das negociações em defesa da revisão periódica da Carta da ONU, além de ter defendido a inclusão do princípio da igualdade entre homens e mulheres no Preâmbulo do documento.

Discurso de posse no mandado de deputada federal

No dia 28 de julho de 1936, Bertha Lutz tomou posse do mandato de deputada federal. Esse momento tão importante na sua vida política e pessoal foi acompanhado por seu pai, Adolfo Lutz, e por suas companheiras da FBPF. A foto registra o momento em que o grupo sobe, orgulhosamente, as escadaria do Palácio Tiradentes, então a sede da Câmara dos Deputados.
O insucesso da candidatura de Lutz à Assembléia Constituinte em 1933 não desanimou as feministas. Apurados os votos, a votação final alcançada por Bertha foi de 16.423 votos, o suficiente para que ela alcançasse a primeira suplência do Partido Autonomista. Com a morte do titular da cadeira, o deputado Cândido Pessoa, Bertha assumiu a vaga. Naquela legislatura, havia apenas duas deputadas na Câmara: a médica Carlota Pereira de Queiróz e Bertha.
Clique à esquerda para ler o discurso, publicado no Diário do Poder Legislativo, e cedido pelo Arquivo da Câmara dos Deputados.

Carteira de Deputada Federal [Origem: Museu Nacional/Projeto Semear]

Carteira de Deputada Federal
[Origem: Museu Nacional/Projeto Semear]

Dia da posse no mandato de Deputada Federal, 28 de julho de 1936. Escadarias  do Palácio Tiradentes, Rio de Janeiro. [Origem: www.feminismo.org.br]

Dia da posse no mandato de Deputada Federal, 28 de julho de 1936. Escadarias
do Palácio Tiradentes, Rio de Janeiro. [Origem: www.feminismo.org.br]


Bertha Lutz: discurso de posse na Câmara dos Deputados, em 28 de julho de 1936

A primeira candidata à Assembleia estadual do Rio Grande do Norte

Em julho de 1930, Carmen Portinho escreve no Correio da Manhã para comentar o lançamento da candidatura de Maria de Lourdes Varella à Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte e ressaltar a importância da iniciativa para o feminismo nacional.
A primeira mulher na assembleia do RNClique na imagem!

Cartilha política da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino, 1932

Com a proximidade das eleições, as feministas da FBPF produziram uma cartilha a ser distribuída entre participantes do curso de consciência política que a entidade ofereceu em outubro de 1932. Vale a pena conferir como elas pensavam o espaço público.
Para ler, basta clicar duas vezes na imagem.

Boletins da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino

A principal fonte para reconstituir o pensamento e a ação das feministas que integravam a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino são os boletins que a entidade publicava quase todos os meses. Ao tempo em que a pesquisa para o Museu Virtual esteve em campo, a coleção do Arquivo Nacional estava fechada à consulta. Certamente, esta é a mais completa coleção de boletins que se conhece e recomendo aos pesquisadores insistir junto ao Arquivo para consultá-los. Por sorte, a pesquisadora Mônica Karaw nos chamou a atenção para este conjunto de boletins preservado na Biblioteca Riograndense, da cidade gaúcha de mesmo nome. A gente agradece à Mônica!

OUTUBRO DE 1934
NOVEMBRO DE 1934
DEZEMBRO DE 1934
FEVEREIRO DE 1935
MARÇO-DE-1935.pdf

Registros políticos na Delegacia Especial de Segurança Política e Social

Levantamos os registros existentes sobre Bertha Lutz e a Federação nos Arquivo do Estado do Rio de Janeiro, fundo Delegacia Especial de Segurança Política e Social. Apurou-se que, de 1934 a 1971, a polícia política manteve sob controle as atividades de Bertha e de suas colaboradoras. Uma anotação chega a denominar as atividades desenvolvidas na Federação como sendo comunistas. Em verdade, ao final de 1934, várias mulheres atuantes na política da Capital Federal, além da própria Bertha, assinam um manifesto de apoio à apuração da morte de Tobias Warshasvky.


Origem: Arquivo do Estado do Rio de Janeiro.

Feministas da FBPF

Eis algumas das participantes da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino.

img 1

Bertha Lutz

img6

Diva Nolf Nazario

img3

Anna Amelia de Queiróz Carneiro de Mendonça

img4

Marróquinha Jacobina Rabello

img2

Maria Eugenia Celso Carneiro de Mendonça

img5

Maria Junqueira Schmitd

 

Realização:
unb


Apoio:
cnpq