Ações

Aíamá de Riba

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


[Aíamá de Riba]

Engenho de roda d'água com igreja, plotado com o símbolo, sem nome no BQPPB, na m.e. do 'Aíamá' (Arroio Caité).


Natureza: Engenho de roda d'água com igreja.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARANAMBVCA.


Jurisdição: Vila Antiga de Igarassu.


Nomes históricos: Engenho Aiamá (Aiama; Anjama, Aniama), Engenho Aiama da Riba.


Nome atual: destruído - localizado na área urbana do bairro Cruz de Rebouças, município de Igarassú-PE.


Citações:

►Mapa IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA - plotado como 'Ԑ. Anjama', na m.e. 'R. Anjama'.


►Mapa IT (Orazi, 1698) PROVINCIA DI ITAMARACÁ, plotado como 'E Aniama', na m.e. do 'R Aniana'.


►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, sem nome, na m.e. do 'Guiarare', afluente m.e. rio 'Aiama'.

  • Nota: A posição em relação à margem do 'Guiarare', m.e., é diferente do BQPPB, onde está na m.d. do 'Guararí'. Possivelmente mais uma diferença criada por falha de Orazi.


(Nassau-Siegen; Dussen; Keullen - 1638), pg. 88-89:

"JURISDIÇÃO DE IGUARASSU

...

Os engenhos aí situados são estes:

1. Engenho Aiama, sob a invocação dos Fiéis de Deus. Pertenceu a Pero da Rocha Leitão, que foi enforcado no Arraial por ter correspondência conosco; pertence agora aos seus herdeiros, e mói.".


(Dussen, 1640), pg. 156:

"Na jurisdição de Igarassu

Na jurisdição de Igarassu há os seguintes engenhos e lavradores, moendo na forma abaixo:

79) Engenho Aiama da Riba, pertencente aos herdeiros de Pedro da Rocha Leitão, é engenho d'água e mói. São lavradores:

Geraldo do Prado Leão 15 tarefas

Francisco Bernardes da Rocha 10

Estêvão do Prado Leão 7

Luís da Mota 2

Antônio Saraiva 7

Paula d'Almeida 3

Simão Furtado 4

Francisco Coelho 6

Simão Dias Rodrigues 2

______________

56 tarefas.


(Cabral de Mello, 2012):

@ pg. 73-74, Os engenhos de açúcar do Brasil Holandês, I - Capitania de Pernambuco, Igaraçu:

«1) AIAMA DE RIBA. Invocação Fiéis de Deus. Sito à margem esquerda do Inhamã. Engenho d'água. Fundado em 1548 por Vasco Fernandes de Lucena, cavaleiro da Casa d'El Rei e feitor e almoxarife da Fazenda Real em Pernambuco, em sesmaria doada em 1540 por Duarte Coelho. Em 1593, o engenho pertencia a seu filho Francisco Fernandes. Em 1609, a Estêvão Gomes, que fora escrivão da Fazenda Real em Pernambuco. Em 1623, produzia 2847 arrobas, pertencendo a Pero da Rocha Leitão, que será executado por colaboracionismo pelo comando luso-brasileiro. Em 1636, campanhistas puseram "em pedaços todas as formas e caixas de açúcar [...] atirando a maior parte n'água". Em 1637 e 1639, moía sob os herdeiros de Pero da Rocha, contando com nove lavradores, num total de 56 tarefas (2,8 mil arrobas), sem partido da fazenda. Evacuado em 1646, quando da retirada da população civil residente entre Olinda e o Rio Grande do Norte, decidida pelo comando do exército luso-brasileiro de restauração. Em 1645, os herdeiros de Pero da Rocha deviam 1750 florins à WIC; e em 1663, 4,9 mil florins. Após a restauração, adquirido em leilão por João Fernandes Vieira e revendido ao licenciado Pedro Monteiro de Queiroz.(22)».

@ pg. 176, Notas:

«(22) "Livro do tombo", p. 288; DP, p. 442; CP, p. 16; RPFB, p. 204; LPGB, p. 181; FHBH, I, pp. 31, 89, 156; RCCB, pp. 51-2, 555; MDGB, pp. 200, 246; VWIC, III, p. 182; IV, p. 126; "Generale staet", ARA, OWIC, n. 62; J. A. Gonsalves de Mello e Cleonir Xavier de Albuquerque [eds.], Cartas de Duarte Coelho a El Rei, Recife, 1966, pp. 93, 114; Gonsalves de Mello, João Fernandes Vieira, II, p. 205.».

Citação deste verbete

Autor do verbete: Levy Pereira

Como citar:PEREIRA, Levy. "Aíamá de Riba". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/A%C3%ADam%C3%A1_de_Riba. Data de acesso: 23 de abril de 2019.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)