Ações

Am∫tel

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
m (Substituindo texto ' {| . | align="center" style="background:#f4d485;"|'''''Citação deste verbete''''' |- |- | '''Autor do verbete:''' Levy Pereira '''Como citar:''' PEREIRA, Levy . "Substituir texto". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do A)
Linha 80: Linha 80:
  
  
{{citacao1}} Levy Pereira{{citacao2}} PEREIRA, Levy {{citacao3}}
+
{{Citar|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
{{Ref|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
[[Category: Coleção Levy Pereira]]

Edição de 12h07min de 7 de janeiro de 2013

Coleção Levy Pereira


Am∫tel


Natureza: engenho de bois

com igreja


Mapa: PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE


Capitania: PARAIBA

Engenho de roda d'água com igreja, na m.d. do 'Nhúobi' (Rio Engenho Novo).

Jurisdição: Prefeitura da Paraiba.


Nomes históricos: Engenho São Cosme e Damião (Santos Cosme e Damião), Engenho Inhobim (Obim, Inhobi, Inhobim, Inobim, Hinjoy), Engenho Am∫tel (Amstel, Amstal).


Nome atual: ? (destruído).

Citações

►Mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640) #49 CAPITANIA DE PARAYBA - plotado como engenho, 'Ԑ Hiniouÿ', na m.d. do 'R. Hinjouy'.

►Mapa PB (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PARAIBA, plotado sem símbolo, 'E Hiniouij', na m.e. do 'R. Hiniuis'.

►(Carpentier, 1635), pg. 49:

"Ao norte do rio Paraíba há igualmente nove engenhos:

...

O terceiro, chamado Inhobi, movido a água, pertencente a Luís Brandão, fugido; esse está sendo moído pelos nossos.".

►(Nassau-Siegen; Dussen; Keullen - 1638), pg. 94:

"16. Engenho Santos Cosme e Damião, pertenceu a Luís Brandão, ausente. Confiscado e vendido a Isaac de Rasiere; mói. ".

►(Gonsalves de Mello, 1981), pg. 174, comentando (Dussen, 1640):

"160) Não há este número no MS]. (*)


(*) O engenho omitido é o Santos Cosme e Damião ou Inhobi, que pertencera a Luis Brandão, ausente, vendido a Isaac de Rasière. Moia. O novo proprietário mudou-lhe o nome para Amste1. ".

►(Herckmans, 1639), pg. 17-18:

"O segundo, que fica acima, se chama São Cosme e Damião; mas, é geralmente conhecido sob o nome de Inobi, que recebeu do rio junto ao qual demora, assim como o mesmo nome tem o distrito ou terra circinvizinha (14).

...

Este engenho Inobi, que presentemente também se chama Amstal, bem como o do meio Middelburgo, e o do Bayo La Rasiere, tinham d'antes por dono a Ambrósio Fernandes Brandaton (Brandão) (15), e depois dele passou aos seus herdeiros até à época da conquista desta capitania; porque, tendo figido os seus proprietários, ficaram pertencendo estes tres engenhos, com suas terras à privilegiada Companhia das Índias Ocidentais, que os vendeu a um negociante de Amsterdam chamado Isaac de Rasiere, que é agora seu senhor e possuidor.".

►Coutinho, Marcus Odilon Ribeiro, "Notas", in (Herckmans, 1639), pg. 49:

"(14) Permanece com esta denominação e é de propriedade da Usina Santa Rita. Existia, até poucos anos, no local uma capela sob a invocação dos santos Cosme e Damião, lamentavelmente derrubada em 1975.

(15) Trata-se do cristão-novo que escreveu o conhecido livro Diálogos das grandezas do Brasil, descrição ufanista das potencialidades de nossas terras.".

►(Câmara Cascudo, 1956), pg. 219:

"Um afluente do Paraíba, o Nhuobi (Inhobim) tem seus engenhos também, o Santo Antônio, a bois, o Nossa Senhora d'Ajuda, e o do flamengo Amstel, com roda d'agua, em pleno serviço.".

►(Medeiros, 1997), pg. 176:

"ENGENHO INHOBIM - à margem setentrional do rio Paraíba, no atual município de Santa Rita. Hoje, é denominado de Obim. Era o velho engenho de São Cosme e Damião, outrora pertencente ao cristão novo Ambrósio Fernandes Brandão, e depois a Duarte Gomes da Silveira. Teve a sua capela derrubada em 1975. Hoje, é propriedade da Usina Santa Rita.".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Am∫tel". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Am%E2%88%ABtel. Data de acesso: 23 de setembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página