Ações

AràçàjĩAraçaĩ

De Atlas Digital da América Lusa

Edição feita às 07h27min de 9 de janeiro de 2013 por Tiagogil (disc | contribs)

(dif) ← Versão anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Coleção Levy Pereira


Aràçàjĩ

Araçaĩ


Natureza: rio


Mapa: PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE


Capitania: PARAIBA

Rio afluente m.e. do 'Mongaguaba' (Rio Mamanguape).


Nome atual:

- médio e baixo cursos: Rio Araçagi;

- alto curso: Riacho Berimbau.

Atualmente considera-se Rio Araçagi o rio formado após a confluência do Riacho Covão ('Soete riuier') com o Riacho Berimbau.


Nomes históricos: Aràçàjĩ, Araçaĩ, Arratagyll, Arratagel, Araçai, Aráçajĩ, Arassagi, Arassaohoh.

Pode ser considerado o único rio desbravado pelos flamengos, pela entrada de Elias Herckmans realizada entre 3 de setembro de 1641 e 4 de novembro de 1641, descrita em .(Barléu, 1647), pg. 221-231, e pelo mapeamento feito no BQPPB de quase todo o seu curso, baseado nessa entrada.

Também é flamenga a primeira plotagem em mapa, mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640), que indica o seu baixo curso, numa região já colonizada pelos portugueses-brasileiros.

Citações

►Mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640) #49 CAPITANIA DE PARAYBA - plotado como rio, 'R. Arratagill', afluente m.e. do 'R. Mongongappĭ'.

►Mapa PB (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PARAIBA - plotado como rio, 'R. Arratagel', afluente m.e. do 'R. Mongongappe'.

►(Barléu, 1647):

@ pg. 227:

"Toparam novas matas e logo se lhes ofereceu o grande rio Araçaí ( 297) . Por troncos de árvores esparsos e cortados aqui e ali, notou-se que os portugueses já tinham passado por lá em demanda de Copaoba.".

@ NOTAS DO TRADUTOR, Mário G. Ferri, pg. 392:

"(297) No texto latino Arassaohoh. (p. 216). Na carta Araçaí. ".

►(Câmara Cascudo, 1956), comentando o BQPPB baseado na entrada de Elias Herckmans:

@ pg. 224:

"Daí, furando descampados, à Tamoatamiri (Tamuatá-mirim), curral de Antonio de Sauedo (Azevedo), rio das Pedras, descansando numa propriedade de Duarte Gomes da Silveira, de onde saiu, rumando o oeste, ao longo do Mongagauba (Mamanguape), pelos currais de Domingos Pires, riacho do Asecé, ladeando a lagoa da Cruz, pelo curral de Antônio Pento (Bento), atravessando o rio Tatuimambuco, lagoa de Piracupu, rio Caranbi, rio Ibitirapoá, pelas fraldas das serras, passando o Arassaohoh (Arassaí, Arassagi, afluente esquerdo do Mamanguape).".

@ pg. 225:

"Margeando o Arassagi e seus tributários anônimos, Herckmann, numa atmosfera de fogo, visita malocas de Tapuias, restos silenciosos das moradas dos Cariris taciturnos, passa uma lagoa, repassa o Arassagi para direita, pelos afluentes, rio "Waterputten", onde é possível beber água nas cacimbas cavadas, e o Caraguatá que risca o limite extremo da expedição e do mapa, ao pé de um monte de rochas lisas, batizado com mera indicação descritiva: — Steenen Keerberg, o Monte de pedras do Retorno.".

►(Coriolano de Medeiros, 1950), pg. 16:

"Araçaji (Voc. ind.: araça-ji: rio dos araçás) — Rio de certa importância. ...".

►(Margrave, 1648), pg. 62-63 descreve oa árvore ARACA-IBA, cujo fruto é o araça. O prof. Alberto J. de Sampaio, á pg. XXXVII desta referência, nos Comentários de Botânica, identifica a espécie descrita por Margrave como a Psidium araça Raddi, mirtácea.






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "AràçàjĩAraçaĩ". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Ar%C3%A0%C3%A7%C3%A0j%C4%A9Ara%C3%A7a%C4%A9. Data de acesso: 15 de outubro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página