Ações

Ararape

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
 
(2 edições intermediárias de um usuário não apresentadas)
Linha 1: Linha 1:
 
{{Verbete
 
{{Verbete
 
|nome=Gustavo
 
|nome=Gustavo
|sobrenome=Godoy
+
|sobrenome=GODOY
 
|verbete=''Ararape'' foi um [[coletivo]] [[tamoio]] localizado no [[sertão]] do [[Rio de Janeiro]], depois que os portugueses e [[temiminós]] destruíram a ocupação tamoia e se instalaram na [[Guanabara]].
 
|verbete=''Ararape'' foi um [[coletivo]] [[tamoio]] localizado no [[sertão]] do [[Rio de Janeiro]], depois que os portugueses e [[temiminós]] destruíram a ocupação tamoia e se instalaram na [[Guanabara]].
  
''Tamuyainhabitors of the River of Januarie, these the TamuyaPortugals destroyed when they inhabited the River, and of them there be verie few, and some that are in the Maine are called Ararape'' (Purchas 1905, vol XVI: 443 <ref>‘’Hakluytusposthumus, or, Purchas his Pilgrimes: contayning a history of the world in sea voyages and landetravells by Englishmen and others‘’. – Glasgow: J. MacLehose and Sons.Na edição brasileira de 1939: ''Outra nação que se chama Tamuya, moradores do Rio de Janeiro: estes destruíram os portugueses quando povoaram o Rio, e deles há muitos poucos, e alguns que há no sertão se chamam Ararape.''</ref>)
+
''Tamuyainhabitors of the River of Januarie, these the Tamuya Portugals destroyed when they inhabited the River, and of them there be verie few, and some that are in the Maine are called Ararape'' (Purchas 1905, vol XVI: 443 <ref>‘’Hakluytusposthumus, or, Purchas his Pilgrimes: contayning a history of the world in sea voyages and landetravells by Englishmen and others‘’. – Glasgow: J. MacLehose and Sons.Na edição brasileira de 1939: ''Outra nação que se chama Tamuya, moradores do Rio de Janeiro: estes destruíram os portugueses quando povoaram o Rio, e deles há muitos poucos, e alguns que há no sertão se chamam Ararape.''</ref>)
  
 
Desta passagem, escrita por [[Fernão Cardim]], provavelmente decorre a localização dos “ararapes” no mapa de [[Guillaume Delisle]], onde esta à direita e abaixo de onde se lê ''Lieu ou etoient autre fois les Tupinambes'' (‘lugar onde outrora estavam os tupinambás’) e acima dos ''Tupinaques'' (‘tupiniquins’):  
 
Desta passagem, escrita por [[Fernão Cardim]], provavelmente decorre a localização dos “ararapes” no mapa de [[Guillaume Delisle]], onde esta à direita e abaixo de onde se lê ''Lieu ou etoient autre fois les Tupinambes'' (‘lugar onde outrora estavam os tupinambás’) e acima dos ''Tupinaques'' (‘tupiniquins’):  
  
 
[[Arquivo:Ararape.png|400px|left|L’Amérique Méridional e Dressée sur les Observations de Mrs. de l'Academie Royal e des Sciences & quelques autres, & sur les Memoires les plus recens / par G. de l'Isle Geographe]]
 
[[Arquivo:Ararape.png|400px|left|L’Amérique Méridional e Dressée sur les Observations de Mrs. de l'Academie Royal e des Sciences & quelques autres, & sur les Memoires les plus recens / par G. de l'Isle Geographe]]
'''''L’Amérique Méridional e Dressée sur les Observations de Mrs. de l'Academie Royal e des Sciences & quelques autres, & sur les Memoires les plus recens / par G. de l'Isle Geographe'''''<ref> Disponível em diferentes versões em: http://gallica.bnf.fr/</ref>.
 
  
  
Linha 33: Linha 32:
  
  
 +
 +
'''''L’Amérique Méridional e Dressée sur les Observations de Mrs. de l'Academie Royal e des Sciences & quelques autres, & sur les Memoires les plus recens / par G. de l'Isle Geographe'''''<ref> Disponível em diferentes versões em: http://gallica.bnf.fr/</ref>.
  
  

Edição atual tal como 13h09min de 24 de novembro de 2014

por Gustavo GODOY


Ararape foi um coletivo tamoio localizado no sertão do Rio de Janeiro, depois que os portugueses e temiminós destruíram a ocupação tamoia e se instalaram na Guanabara.

Tamuyainhabitors of the River of Januarie, these the Tamuya Portugals destroyed when they inhabited the River, and of them there be verie few, and some that are in the Maine are called Ararape (Purchas 1905, vol XVI: 443 [1])

Desta passagem, escrita por Fernão Cardim, provavelmente decorre a localização dos “ararapes” no mapa de Guillaume Delisle, onde esta à direita e abaixo de onde se lê Lieu ou etoient autre fois les Tupinambes (‘lugar onde outrora estavam os tupinambás’) e acima dos Tupinaques (‘tupiniquins’):

L’Amérique Méridional e Dressée sur les Observations de Mrs. de l'Academie Royal e des Sciences & quelques autres, & sur les Memoires les plus recens / par G. de l'Isle Geographe













L’Amérique Méridional e Dressée sur les Observations de Mrs. de l'Academie Royal e des Sciences & quelques autres, & sur les Memoires les plus recens / par G. de l'Isle Geographe[2].


[editar] Referências

  1. ‘’Hakluytusposthumus, or, Purchas his Pilgrimes: contayning a history of the world in sea voyages and landetravells by Englishmen and others‘’. – Glasgow: J. MacLehose and Sons.Na edição brasileira de 1939: Outra nação que se chama Tamuya, moradores do Rio de Janeiro: estes destruíram os portugueses quando povoaram o Rio, e deles há muitos poucos, e alguns que há no sertão se chamam Ararape.
  2. Disponível em diferentes versões em: http://gallica.bnf.fr/



Citação deste verbete
Autor do verbete: Gustavo GODOY
Como citar: GODOY, Gustavo. "Ararape". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Ararape. Data de acesso: 26 de outubro de 2020.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página