Ações

Baxos Salina

De Atlas Digital da América Lusa

Edição feita às 16h57min de 19 de abril de 2015 por Levypereira (disc | contribs)

(dif) ← Versão anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Coleção Levy Pereira

Baxos Salina

Baixio entre 'O. Brandibe' (Ponta Santo Cristo) e 'Cai∫a' (Ponta de São Bento do Norte).

'Baxos Salina' no MBU.


Natureza: baixio.


Mapa:

MARITIMA BRASILIÆ UNIVERSÆ.


Capitania: Rio Grande.


Nomes históricos: Baxos Salina; Baxos Zalina; baixos de São Roque; parcéis de São Roque.


Nome atual: Baixio de Caiçara do Norte.

Baixio = banco de areia ou rochedo (recife), que fica submerso nos mares e rios, constituindo perigo para a navegação.

Situa-se na ao largo do litoral entre a Ponta de Santo Cristo e Guamaré-RN, e seu nome está correlacionado com as salinas naturais existentes entre Caiçara do Norte-RN e Guamaré-RN.

Citações:

►Mapa CE (IAHGP-Vingboons, 1640) #53 CAPITANIA DO ZIERA, plotado, 'Baxos Zalina', ao largo entre 'O ßran∂ibԐ', 'ßran∂ibԐ' e 'Caysa.'.

►Mapa Y-54 (4.VEL Y, 1643-1649) De Cust van Brazil tusschen cabo Roques en Bay Cazay, plotado, sem nome, ao largo do litoral entre 'obran∂iba:' (Ponta Santo Cristo) e 'kaysa:' (Ponta em São Bento do Norte-RN).

►Mapa CE-RG (Orazi, 1698) PROVINCIE DI SEARÁ E RIO GRANDE, plotado, 'Baxos Salina', ao largo de 'Caysa' (Baia de Caiçara do Norte).

(Sousa, 1587), CAPÍTULO VIII - Em que se declara a costa do rio de Jagoarive até o cabo de São Roque, pg. 49, denomina-o 'baixos de São Roque':

"Desta baía ao rio Grande são quatro léguas o qual está em altura de quatro graus. Este rio tem duas pontas saídas para o mar, e entre uma e outra há uma ilhota, que lhe faz duas barras, pelas quais entram navios da costa. Defronte deste rio se começam os baixos de São Roque, e deste rio Grande até ao cabo de São Roque são dez léguas, o qual está em altura de quatro graus e um seismo; entre este cabo e a ponta do rio Grande se faz de uma ponta a outra uma grande baía, cuja terra é boa e cheia de mato, em cuja ribeira ao longo do mar se acha muito sal feito. Defronte desta baía estão os baixos de S. Roque, os quais arrebentam em três ordens, e entra-se nesta baía por cinco canais que vêm ter ao canal que está entre um arrecife e outro, pelos quais se acha fundo de duas, três, quatro e cinco braças, por onde entram os navios da costa à vontade.

CAPÍTULO IX - Em que se declara a costa do cabo de São Roque até o porto dos Búzios.

Do cabo de São Roque até a ponta de Goaripari são seis léguas, a qual está em quatro graus e 1/4, onde a costa é limpa e a terra escalvada, de pouco arvoredo e sem gentio.".

(Moreno, 1615), pg. 47, denomina-os 'onde se acabam os parcéis de São Roque':

"E assim, sem eles, com vento rijo foram correndo a costa, para entrarem no porto da Ubaraná. Mas tanto que se chegaram bem à costa, houveram vista dos ditos navios, não sem algum rumor de armas, até se assegurarem uns dos outros, por ser aquela costa muito continuada de *cossairos. Desta separação dos navios teve a culpa o piloto-mor, que, sem advertir aos demais, quis dar resguardo à restinga de Guamaré, que está 30 léguas do Rio Grande, donde se acabam os *parcéis de São Roque, a qual bota ao mar duas léguas. Este dia, por esperar uns por outros, não houve tempo para se tomar a Ubaraná, e assim, passando avante com boa vigia, foram até o amanhecer pelo noroeste, até que no quarto da *antealva, indo todos com o prumo na mão, muito vento, e grande escuro, se acharam em três braças, pelo que foi necessário guinar duas horas ao norte, até que se acharam em sete braças, fazendo conta ser este o *parcel de Jaguaribé, que bota ao mar duas léguas e meia, que tanto podiam vir naquele tempo desviados da terra.".

Notas:

1) a frota da Jornada do Maranhão, no dia 6/9/1614, navegava de leste para oeste - 'Ubaraná' é o porto do Retiro Grande-CE, na enseada oeste da Ponta de Ubarana, ou Ponta Grossa , a 'Pa. de Albaroen' no MBU. O 'parcel Jaguaribe' fica ao largo da barra do Rio Jaguaribe, 'R. Scorgoriba' no MBU.

2) fica aparente em nas citações em (Sousa, 1587) e (Moreno, 1615) que esses autores não faziam distinção entre os 'Baxos Salina' e 'Baxos de S. Roque', considerando-os um só.

(Medeiros, 1997), A COSTA POTIGUAR EM 1587, DESCRITA POR GABRIEL SOARES DE SOUZA, pg.17-19:

"O Roteiro Geral, com Largas Informações de toda a Costa do Brasil, de autoria de GABRIEL SOARES DE SOUZA, publicado sob o título Tratado Descritivo do Brasil em 1587, também descreve o litoral da Capitania do Rio Grande (1).

...

O Rio Grande apontado por Soares de Souza, corresponde ao rio Amargoso ou Açu, distanciado cerca de 12 léguas do Mossoró. A ilhota começou a submergir em 1818, possuindo a denominação de Ilha de Manuel Gonçalves. Apresentava uma extensão de seis milhas, tendo a sua extremidade oriental na confrontação do rio Amargoso, Salgado ou Açu, atingindo, pelo ocidente, as proximidades do rio das Conchas.

...

O cabo de São Roque descrito por Gabriel Soares de Souza, corresponde à Ponta dos Três Irmãos, distanciada cerca de 12 léguas da ponta do Tubarão. Entre os dois pontos extremos, forma-se uma ampla baía, na qual existem várias salinas naturais, exploradas desde o início do povoamento do território. Defronte a essa baía estão os baixos de São Roque, representados por uma série de coroas ou urcas, todas com canal navegável entre sí.

...

(1) SOARES DE SOUZA, Gabriel ● Tratado Descritivo do Brasil em 1587, pp. 24-26".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Baxos Salina". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Baxos_Salina. Data de acesso: 20 de setembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página