Ações

Cabo blanco

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
m (Substituindo texto ' {| . | align="center" style="background:#f4d485;"|'''''Citação deste verbete''''' |- |- | '''Autor do verbete:''' Levy Pereira '''Como citar:''' PEREIRA, Levy . "Substituir texto". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do A)
Linha 68: Linha 68:
  
  
{{citacao1}} Levy Pereira{{citacao2}} PEREIRA, Levy {{citacao3}}
+
{{Citar|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
{{Ref|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
[[Category: Coleção Levy Pereira]]

Edição de 12h42min de 7 de janeiro de 2013

Coleção Levy Pereira


Cabo blanco


Natureza: pontal ou cabo


Mapa: PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE


Capitania: PARAIBA

Cabo entre 'Paratijĩ' (barra do Rio Cuiá) e 'Cabo delo' (Ponta de Cabedelo).

C. Blanco' no MBU.

O gravador do BQPPB escreveu 'blanco', depois corrigiu escrevenndo o r em cima do l, transformando em algo parecido como 'btanco'.


Nome atual: Cabo Branco ou Ponta do Seixas.

Ponto mais oriental das Américas.


Nomes históricos: Cabo blanco, Cabo Blancko, Kabo Blancko

Citações

►Mapa IT (Albernaz, 1612), plotado como 'Cabo branco'.

►Mapa IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA - plotado como cabo, 'C. Branco'.

►Mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640) #49 CAPITANIA DE PARAYBA, plotado como cabo, 'Cabo Branco'.

►Mapa Y-45 (4.VEL Y, 1642) De Cust van Brazil tusschen Ponto Pommarel ende Cabo Blancko, plotado como cabo, 'Kabo Blancko:'.

►Mapa Y-48 (4.VEL Y, 1642) De Cust van Brazil tusschen Cabo Blancko en Rio Jan de Sta, plotado como cabo, sem nome (o nome está no título do mapa).

►Mapa IT (Orazi, 1698) PROVINCIA DI ITAMARACÁ, plotada como cabo, 'C. Branco'.

►Mapa PB (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PARAIBA, plotado como cabo, 'Cabo Branco'.

►(Laet, 1637), Interrogação de Bartolomeu Peres, e situação ao redor e perto de Pernambuco, tanto ao sul como ao norte, pg. 125:

"Duas léguas ao sul da Paraíba está Cabo Branco, onde - como em outros lugares dessa zona - é muito fácil de desembarcar e de seguir marchando para a Paraíba: bom caminho e com poucas árvores capazes de causar moléstia. Nesse lugar, os portugueses construíram uma trincheira para impedir o desembarque, mas de pouca importância: não tem peças, mas perto dela há duas peças que trouxeram das fortalezas da Paraíba. Entre o Cabo Branco e a cidade não há rios nem pântanos, senão um caminho desimpedido. Sete léguas mais para o sul está Porto Francês, um porto.".

►(Herckmans, 1639) RIAHGP, pg. 260:

"...; não fica longe daí o porto Frances, o qual é o primeiro onde os franceses foram fazer o seu tráfico com os Pitiguares ou naturais da terra.

Quatro ou cinco léguas desta baia para o norte se acha o cabo Branco; é uma ponta que se faz mui branca a quem vem do mar, e por isso assim se chama. Daí até o Cabedelo ou barra do Paraíba se contam diretamente quatro léguas pelo mar, mas por terra contam-se seguramente seis por causa da grande curva que faz a costa, a modo de meia lua.".

►(Coriolano de Medeiros, 1950), pg. 53:

"Cabo Branco — Elevação de uns quinze metros de altura, que faz parte de um sistema de barreiras que orlam o Atlântico, na região do nordeste, distando uns 15 quilômetros da Capital. Avança para o mar, constituindo-se a parte mais oriental das Américas. Nas proximidades do cabo, o mar é muito "parcelado, semeado de escolhos, pelo que as embarcações não podem ali ancorar e tudo indica que foi um promontório reduzido pela erosão das águas marinhas. ".

►(Câmara Cascudo, 1956), pg. 218:

"O outro rio é o Paratiji, com ausência de povoação antes e depois do Cabo Branco.".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Cabo blanco". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Cabo_blanco. Data de acesso: 22 de outubro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página