Ações

Camaratĩba

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
(Criou página com 'Coleção Levy Pereira Camaratĩba '''Natureza:''' rio foz de rio '''Mapa:''' [[PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO...')
 
m (Substituindo texto ' {| . | align="center" style="background:#f4d485;"|'''''Citação deste verbete''''' |- |- | '''Autor do verbete:''' Levy Pereira '''Como citar:''' PEREIRA, Levy . "Substituir texto". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do A)
Linha 84: Linha 84:
  
  
{{citacao1}} Levy Pereira{{citacao2}} PEREIRA, Levy {{citacao3}}
+
{{Citar|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
{{Ref|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
[[Category: Coleção Levy Pereira]]

Edição de 12h44min de 7 de janeiro de 2013

Coleção Levy Pereira


Camaratĩba


Natureza: rio

foz de rio


Mapa: PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE


Capitania: PARAIBA

Rio com barra no oceano.


Nome atual: Rio Camaratuba.


Nomes históricos: Rio Camaratuba (Camaratiba, Cameratuba, kamaratubo).

■ NOTA EXPLICATIVA:

Neste trabalho admitimos haver um engano no mapa BQPPB no alto curso do rio "Camaratĩba" (Rio Camaratuba), onde estão desenhados riachos que pertencem efeitivamente à bacia do rio "R. de Canafistola" (Riacho Bananeiras no alto curso e Riacho Tananduba no baixo curso).

Os nossos argumentos para justificar essa hipótese:

1) no BQPPB o Rio Camaratuba recebe três nomes: Tambáarĩrĩỹ, Tuĩnandĩba, Camaratĩba, caso único;

2) o levantamento dessa área da Paraíba tem alta probabilidade de estar baseado na entrada de Elias Herckmans - não deve ter sido feito pelo Margrave em pessoa.

3) o levantamento usou bússola, portanto, bastante calcado em rumos. Como se pode observar neste mapa, há uma coincidência muito particular nos rumos e alinhamentos, praticamente uma só linha reta (notem o destaque), dos

- Riacho Cacimba, por nós associado ao "Tuĩnandĩba" e "Tambáarĩrĩỹ", este no trecho a montante do afluente margem esquerda sem nome no mapa de Margrave;

- Riacho do Padre, aqui associado ao "Tambáarĩrĩỹ" a jusante do afluente sem nome no mapa de Margrave;

- Riacho Muquém, afluente margem esquerda do Riacho Bananeiras, associado por nós a um trecho não mapeado do "R. de Canafistola";

- Rio Guabiraba, afluente da margem direita do rio "Camaratĩba" (Rio Camaratuba).

4) não há a possibilidade, dentro das circunstâncias, de se caminhar da bacia do Rio Arassagi (rio "Aráçajĩ" no mapa de Margrave), à bacia do Rio Camaratuba (rio "Camaratĩba" ) sem passar pela bacia do Riacho Bananeiras-Riacho Tananduba (rio "R. de Canafistola), o que eventualmente seria notado.

5) o caminho percorrido pela entrada de Elias Herckmans para efetivamente alcançar o vale do Camaratuba partindo das proximidades das serras "Iuruparibacaĩ" e "Magasynsberg", com transposição com boa probalidade de acerto neste trabalho, segue rumo NE (nordeste) e alcança um ponto a não mais do que 13 Km a 14 Km da nascente do Rio Camaratuba e, conforme se pode observar neste mapa, com toda certeza cruzaria o trecho do caminho rumo O (oeste) entre as serras mencionadas e o "Steenen Keerberg".

Citações

►Mapa RG (Albernaz, 1612), plotado como 'Rio Camaratuba'.

►Mapa Y-48 (4.VEL Y, 1642) De Cust van Brazil tusschen Cabo Blancko en Rio Jan de Sta, plotada como 'Rº kamaratúbo:'.

►Mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640) #49 CAPITANIA DE PARAYBA - plotado como rio, 'R. Camaratuba', 'R. CamԐratuba' na foz.

►Mapa RG (IAHGP-Vingboons, 1640) #51 CAPITANIA DE RIO GRANDE - plotado como rio, 'R. Camaratuba' na foz.

►Mapa PB (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PARAIBA - plotado como rio, 'R. Caratuba', 'R. Camaratuba' na foz.

►(Herckmans, 1639), pg. 30-31 :

"Um pouco ao norte da Baía da Traição sai ao mar o rio Camaratuba, prolongando-se pelo interior, como o Mamanguape, geralmente ao nordeste e ao sudoeste. Ao longo dele há vários currais, onde moram muitos criadores. Contudo não é tão habitado para o interior quanto o Mamanguape.

...

Camaratuba quer dizer em língua brasílica lugar onde cresce certa erva chamada Camera, a qual dá sem cultura e tem pequenas flores amarelas; e tuba significa o pai e a mãe de tal planta. É uma maneira de falar como quando dizemos que a natureza é a produtora ou a mãe de todos os frutos. Por isso denominaram eles esta região e o rio mãe da dita planta.".

►(Sampaio, 1904), pg 35:

"CAMARATUBA — Corrupção de Camará-tyba que se traduz camará abundante.".

►(Margrave, 1648), Capítulo IV, Várias Camaras, pg. 5, descreve essa erva.

►(Câmara Cascudo, 1956), pg. 226:

"O rio Camaratiba (Camaratuba), pela direita, recebe o Urubutiba (três currais de gado na barra e um outro, passada a corrente), Ipiranga, os riachos Piaguaçú (Piabuçu), Ubeté (Ubati) e Itauna, com raras e vagas arvores. Pela esquerda, o Timbouna (Timbaúna), Paraigoura (Pararigura?) com engenho dágua de Nossa Senhora do Rosário, e o Upitanga (Pitanga) com o afluente Çabaí (Çubaí).".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Camaratĩba". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Camarat%C4%A9ba. Data de acesso: 17 de setembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página