Ações

De Barreiros

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
m (Substituindo texto ' {| . | align="center" style="background:#f4d485;"|'''''Citação deste verbete''''' |- |- | '''Autor do verbete:''' Levy Pereira '''Como citar:''' PEREIRA, Levy . "Substituir texto". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do A)
Linha 76: Linha 76:
  
  
{{citacao1}} Levy Pereira{{citacao2}} PEREIRA, Levy {{citacao3}}
+
{{Citar|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
{{Ref|nome=Levy|sobrenome=Pereira}}
 +
 
 +
[[Category: Coleção Levy Pereira]]

Edição de 12h56min de 7 de janeiro de 2013

Coleção Levy Pereira


de Barreiros


Natureza: engenho de bois

com igreja


Mapa: PRÆFECTURÆ DE PARAIBA, ET RIO GRANDE


Capitania: PARAIBA

Engenho de bois com igreja, no vale do 'Tebirĩ' (rio Tibiri) - Engenho dos Barreiros., núcleo da cidade de Bayeux (PB).

Jurisdição: Prefeitura da Paraiba.


Nomes históricos: Engenho dos Barreiros, Engenho das Barreiras.


Nome atual: não mais existe como engenho e foi o núcleo da cidade de Bayeux (PB).

Citações

►Mapa PB (IAHGP-Vingboons, 1640) #49 CAPITANIA DE PARAYBA - plotado como engenho, 'Ԑ. BarrԐtos', na m.d. do 'Rº Parayba'.

►Mapa PB (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PARAIBA, plotado sem símbolo, 'Barretos', na m.e. do 'R. Paraiba'.

►(Carpentier, 1635), pg. 48:

"Diremos apenas que há nesta capitania 18 engenhos, dos quais uns são movidos a água e outros a boi e todos estão situados no rio Paraíba, sendo que nove ao sul do rio. O primeiro (ao sul do rio Paraíba), junto à pequena Cidade Frederica e pertencente a um português, é chamado das Barreiras e tem partido que pertence propriamente ao engenho e o resto das canas é fornecido pelos monges de São Bento; este engenho foi confiscado pela Companhia, mas está destruído e sem poder moer."

►(Nassau-Siegen; Dussen; Keullen - 1638), pg. 93:

"1. Engenho das Barreiras, pertenceu a Domingos Carneiro Sanches, que vive em Lisboa. Confiscado e vendido a Josias Marischal & Companhia; mói.".

►(Herckmans, 1639), pg. 17:

"Fora do Varadouro, subindo o rio durante os Barreiros (11), que quer dizer sítio onde há muito barro, e aí se costuma cozer muitos vasos e telhas para as cobertas das casas. O dono deste engenho era um tal Domingos Carneiro; mas como, antes da conquista, ele partiu para Portugal, declarou-se confiscado o seu engenho para a Companhia e o Supremo Conselho o vendeu para o mercador de Amsterdam, chamado Josias Marschal, que é presentemente o seu dono."

Nota de Coutinho, Marcus Odilon Ribeiro, pg. 49:

"(11) Barreiras, distrito de Santa Rita, conservou este nome até 1944 quando foi rebatizado pelo Interventor Ruy Carneiro, com o nome de Bayeux ...".

►(Coriolano de Medeiros, 1950), pg. 32:

"Barreiras — ... O nome da povoação veio do engenho Barreiros, que ali existiu ...".

►(Dussen, 1640), pg. 170:

"145) Engenho das Barreiras, pertence a Josias Marischal, é engenho d'água e mói. São lavradores:

Partido da fazenda 20 tarefas

Os frades de São Bento 40

Francisco de Sousa 15

----- 
75 tarefas".

►(Câmara Cascudo, 1956), pg. 220:

"Logo adiante era o engenho dos Barreiros, junto à Capital, tendo o Tambaia (Tambiá) e o rio das Marés (R. de Marees) por limites.".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "De Barreiros". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/De_Barreiros. Data de acesso: 17 de setembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página