Ações

Nossa Senhora do Bom Sucesso de Minas Novas do Araçuí

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
(Criou página com '{{Verbete|nome=Mariana|sobrenome=Barcelos|verbete=Fundada em 1730, a Vila de ''Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí'' permaneceu com a mesma configuração...')
 
Linha 3: Linha 3:
 
Antes de ser elevada a vila, ''Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí'', a região recebeu outras designações. No início do século XVIII a área era conhecida por ''Nossa Senhora do Bom Sucesso'' devido à enorme quantidade de ouro e diamantes encontrados pelos mineradores. Já na segunda metade dos Setecentos a região passou a ser designada no vocabulário coevo como ''Fanado de Minas Novas'' porque o rio que circundava a região possuía falhas em seus veios auríferos <ref>CHAVES, Edneila Rodrigues. Território das Minas na colonização portuguesa: contato entre culturas e ocupação. In: XXIII Simpósio Nacional de História: Guerra e paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e paz. Programas e Resumos. Londrina: Gráfica Editora Mídia, 2005. v. 23, p. 188-188</ref>.
 
Antes de ser elevada a vila, ''Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí'', a região recebeu outras designações. No início do século XVIII a área era conhecida por ''Nossa Senhora do Bom Sucesso'' devido à enorme quantidade de ouro e diamantes encontrados pelos mineradores. Já na segunda metade dos Setecentos a região passou a ser designada no vocabulário coevo como ''Fanado de Minas Novas'' porque o rio que circundava a região possuía falhas em seus veios auríferos <ref>CHAVES, Edneila Rodrigues. Território das Minas na colonização portuguesa: contato entre culturas e ocupação. In: XXIII Simpósio Nacional de História: Guerra e paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e paz. Programas e Resumos. Londrina: Gráfica Editora Mídia, 2005. v. 23, p. 188-188</ref>.
 
Inicialmente a Vila de ''Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí'' pertencia à [[Capitania da Bahia|Bahia]], mas estava subordinada judicialmente e politicamente à [[comarca de Serro Frio]]. Em 1742, com a criação da comarca de [[Jacobina na Bahia]], a jurisdição sobre a vila foi transferida para a nova comarca. Entretanto essa divisão trouxe grandes problemas para a Coroa, porque a ''vila de Minas Novas'' se transformou em uma rota de contrabando de metais preciosos e gêneros de primeira necessidade para a região mineradora <ref>ROMEIRO, Adriana; BOTELHO, Ângela Vianna. Dicionário histórico das Minas Gerais: período colonial. 2a edição revista. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2004</ref>. Em 1757, após muitas solicitações das [[Capitania de Minas Gerais| Minas Gerais]], a Coroa ordenou à incorporação da vila a capitania mineira. Entretanto o ouvidor da comarca de Jacobina concedeu apenas a jurisdição militar da região a Minas Gerais. Em 1760, o Estado Português enviou nova ordem determinando a transferência de toda jurisdição sobre a vila de Minas Novas. A partir de 1760, somente a jurisdição eclesiástica ficou a cargo do prelado da Bahia <ref>BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995, p.204-205</ref>.
 
Inicialmente a Vila de ''Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí'' pertencia à [[Capitania da Bahia|Bahia]], mas estava subordinada judicialmente e politicamente à [[comarca de Serro Frio]]. Em 1742, com a criação da comarca de [[Jacobina na Bahia]], a jurisdição sobre a vila foi transferida para a nova comarca. Entretanto essa divisão trouxe grandes problemas para a Coroa, porque a ''vila de Minas Novas'' se transformou em uma rota de contrabando de metais preciosos e gêneros de primeira necessidade para a região mineradora <ref>ROMEIRO, Adriana; BOTELHO, Ângela Vianna. Dicionário histórico das Minas Gerais: período colonial. 2a edição revista. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2004</ref>. Em 1757, após muitas solicitações das [[Capitania de Minas Gerais| Minas Gerais]], a Coroa ordenou à incorporação da vila a capitania mineira. Entretanto o ouvidor da comarca de Jacobina concedeu apenas a jurisdição militar da região a Minas Gerais. Em 1760, o Estado Português enviou nova ordem determinando a transferência de toda jurisdição sobre a vila de Minas Novas. A partir de 1760, somente a jurisdição eclesiástica ficou a cargo do prelado da Bahia <ref>BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995, p.204-205</ref>.
 +
  
 
Palavras-Chave: Capitania das Minas Gerais, Capitania da Bahia, Serro Frio, Jacobina, Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí, Minas Novas.
 
Palavras-Chave: Capitania das Minas Gerais, Capitania da Bahia, Serro Frio, Jacobina, Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí, Minas Novas.

Edição de 13h43min de 1 de abril de 2015

por Mariana Barcelos


Fundada em 1730, a Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí permaneceu com a mesma configuração até o fim do período colonial. No entanto, a jurisdição sobre a vila mudou devido a disputas entre a Capitania de Minas Gerais e a Capitania da Bahia. A ocupação da região começou no final do século XVII com a chegada de mineradores na área em busca de metais preciosos. Na década de 1720 o povoamento se intensificou na região devido à perseguição de garimpeiros de diamantes no Distrito diamantífero e a expansão da produção do gado e de alimentos no norte da Bahia e no sul de Minas Gerais. Segundo Edneila Rodrigues Chaves[1], a ocupação da região ocorreu por dois movimentos simultâneos de migração: o avanço da pecuária e da agricultura para o interior da América portuguesa e a busca dos paulistas por novas áreas de exploração de metais no território. Antes de ser elevada a vila, Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí, a região recebeu outras designações. No início do século XVIII a área era conhecida por Nossa Senhora do Bom Sucesso devido à enorme quantidade de ouro e diamantes encontrados pelos mineradores. Já na segunda metade dos Setecentos a região passou a ser designada no vocabulário coevo como Fanado de Minas Novas porque o rio que circundava a região possuía falhas em seus veios auríferos [2]. Inicialmente a Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí pertencia à Bahia, mas estava subordinada judicialmente e politicamente à comarca de Serro Frio. Em 1742, com a criação da comarca de Jacobina na Bahia, a jurisdição sobre a vila foi transferida para a nova comarca. Entretanto essa divisão trouxe grandes problemas para a Coroa, porque a vila de Minas Novas se transformou em uma rota de contrabando de metais preciosos e gêneros de primeira necessidade para a região mineradora [3]. Em 1757, após muitas solicitações das Minas Gerais, a Coroa ordenou à incorporação da vila a capitania mineira. Entretanto o ouvidor da comarca de Jacobina concedeu apenas a jurisdição militar da região a Minas Gerais. Em 1760, o Estado Português enviou nova ordem determinando a transferência de toda jurisdição sobre a vila de Minas Novas. A partir de 1760, somente a jurisdição eclesiástica ficou a cargo do prelado da Bahia [4].


Palavras-Chave: Capitania das Minas Gerais, Capitania da Bahia, Serro Frio, Jacobina, Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas Novas do Araçuí, Minas Novas.


Referências

  1. CHAVES, Edneila Rodrigues. Território das Minas na colonização portuguesa: contato entre culturas e ocupação. In: XXIII Simpósio Nacional de História: Guerra e paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e paz. Programas e Resumos. Londrina: Gráfica Editora Mídia, 2005. v. 23, p. 188-188
  2. CHAVES, Edneila Rodrigues. Território das Minas na colonização portuguesa: contato entre culturas e ocupação. In: XXIII Simpósio Nacional de História: Guerra e paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e paz. Programas e Resumos. Londrina: Gráfica Editora Mídia, 2005. v. 23, p. 188-188
  3. ROMEIRO, Adriana; BOTELHO, Ângela Vianna. Dicionário histórico das Minas Gerais: período colonial. 2a edição revista. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2004
  4. BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995, p.204-205



Citação deste verbete
Autor do verbete: Mariana Barcelos
Como citar: BARCELOS, Mariana. "Nossa Senhora do Bom Sucesso de Minas Novas do Araçuí". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Nossa_Senhora_do_Bom_Sucesso_de_Minas_Novas_do_Ara%C3%A7u%C3%AD. Data de acesso: 4 de abril de 2020.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página