Ações

Vila de Baturité

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
(Criou página com 'As mais antigas referências que se conhecem vêm do ano de 1746, quando Inácio Moreira Barros e André Moreira de Moura fizeram uma petição ao Capitão-mor Governador da C...')
 
Linha 1: Linha 1:
 
As mais antigas referências que se conhecem vêm do ano de 1746, quando Inácio Moreira Barros e André Moreira de Moura fizeram uma petição ao Capitão-mor Governador da Capitania do Ceará Grande, João de Teive Barreto de Meneses, para que lhes fosse concedida uma sesmaria entre o rio Choró e a serra de Baturité <ref>IBGE – Cidades</ref>. A 17 de junho de 1776, pela Secretaria dos Domínios Ultramarinos foi expedido Aviso autorizando o Governador de Pernambuco - Luiz Diogo da Silva – a confiar ao Ouvidor do Ceará – Vitorino Soares Barbosa – o estabelecimento de novas vilas nesta Capitania, de acordo com a legislação existente e, nessa conformidade em carta de 6 de agosto e portaria de 15 do mesmo mês daquele referido ano, Lobo da Silva ordenou que fossem criadas as vilas de Baturité e Crato. O ouvidor, a 31 de março de 1764, publica edital para instalação de Baturité, que foi inaugurada a 14 de abril do mesmo ano, com o nome de Monte-mor o Novo d’América <ref>O nome que é designado a Vila de Baturité no Mapa Ceará 1800 de Gregório Amaral é Vila de Indio</ref>, no lugar da antiga missão de Nossa Senhora da Palma <ref>GIRÃO, Raimundo. MARTINS FILHO, Antônio. O ceará. Fortaleza: Editora Fortaleza, 1ª Ed, 1939, pag. 112</ref>, com o orado da mesma <ref>AHU – CE</ref>.
 
As mais antigas referências que se conhecem vêm do ano de 1746, quando Inácio Moreira Barros e André Moreira de Moura fizeram uma petição ao Capitão-mor Governador da Capitania do Ceará Grande, João de Teive Barreto de Meneses, para que lhes fosse concedida uma sesmaria entre o rio Choró e a serra de Baturité <ref>IBGE – Cidades</ref>. A 17 de junho de 1776, pela Secretaria dos Domínios Ultramarinos foi expedido Aviso autorizando o Governador de Pernambuco - Luiz Diogo da Silva – a confiar ao Ouvidor do Ceará – Vitorino Soares Barbosa – o estabelecimento de novas vilas nesta Capitania, de acordo com a legislação existente e, nessa conformidade em carta de 6 de agosto e portaria de 15 do mesmo mês daquele referido ano, Lobo da Silva ordenou que fossem criadas as vilas de Baturité e Crato. O ouvidor, a 31 de março de 1764, publica edital para instalação de Baturité, que foi inaugurada a 14 de abril do mesmo ano, com o nome de Monte-mor o Novo d’América <ref>O nome que é designado a Vila de Baturité no Mapa Ceará 1800 de Gregório Amaral é Vila de Indio</ref>, no lugar da antiga missão de Nossa Senhora da Palma <ref>GIRÃO, Raimundo. MARTINS FILHO, Antônio. O ceará. Fortaleza: Editora Fortaleza, 1ª Ed, 1939, pag. 112</ref>, com o orado da mesma <ref>AHU – CE</ref>.
 +
{{Citar|nome=Reginaldo|sobrenome=Correia}}

Edição de 14h41min de 18 de janeiro de 2013

As mais antigas referências que se conhecem vêm do ano de 1746, quando Inácio Moreira Barros e André Moreira de Moura fizeram uma petição ao Capitão-mor Governador da Capitania do Ceará Grande, João de Teive Barreto de Meneses, para que lhes fosse concedida uma sesmaria entre o rio Choró e a serra de Baturité [1]. A 17 de junho de 1776, pela Secretaria dos Domínios Ultramarinos foi expedido Aviso autorizando o Governador de Pernambuco - Luiz Diogo da Silva – a confiar ao Ouvidor do Ceará – Vitorino Soares Barbosa – o estabelecimento de novas vilas nesta Capitania, de acordo com a legislação existente e, nessa conformidade em carta de 6 de agosto e portaria de 15 do mesmo mês daquele referido ano, Lobo da Silva ordenou que fossem criadas as vilas de Baturité e Crato. O ouvidor, a 31 de março de 1764, publica edital para instalação de Baturité, que foi inaugurada a 14 de abril do mesmo ano, com o nome de Monte-mor o Novo d’América [2], no lugar da antiga missão de Nossa Senhora da Palma [3], com o orado da mesma [4].





Citação deste verbete
Autor do verbete: Reginaldo Correia
Como citar: CORREIA, Reginaldo. "Vila de Baturité". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Vila_de_Baturit%C3%A9. Data de acesso: 28 de outubro de 2020.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página


Erro de citação: existem marcas <ref>, mas nenhuma marca <references/> foi encontrada