Ações

Livro 2 - DA HISTÓRIA DO BRASIL NO TEMPO DO SEU DESCOBRIMENTO - Capítulo 2 - Das capitanias e terras, que el-rei doou a Pero Lopes e Martim Afonso de Souza, Irmãos

De Atlas Digital da América Lusa

Como Pero Lopes de Souza havia já andado por estas partes do Brasil coube-lhe a escolha primeiro que a outros, e não tomou todas as suas 50 léguas juntas, senão 25 em Itamaracá, de que adiante trataremos, e outras 25 em São Vicente, que se demarcam e confrontam com as terras da capitania de seu irmão Martim Afonso de Sousa em tanta vizinhança, que não deixa de haver litígio e dúvidas, sendo que quando de princípio as povoaram e fortificaram foi de muito proveito esta vizinhança por se poder ajudar um ao outro, e defender do inimigo, como bem se viu depois de idos pelas muitas guerras que os moradores tiveram com os gentios, e franceses, que entre eles andavam, e por mar em canoas lhe vinham dar muitos assaltos, e por muitas vezes os tiveram cercados, e sempre se defenderam muito bem, o que não poderiam fazer se as povoações e fortes não estivessem tão próximos. Donde se verifica bem o que Scipião africano disse no senado de Roma, que era necessário continuar-se com as guerras de África, porque faltando estas as haveria civis entre os vizinhos; como as houve entre estes / ainda que irmãos / depois que venceram os gentios; mas descendo ao particular a razão das dúvidas, que estes senhores têm, ou seus herdeiros, acerca destas capitanias me parece que é por dizerem as suas doações, que se demarcaram pela barra do Rio de S. Vicente, um para o norte, outro para o sul, e como este rio tem três barras, causadas de duas ilhas, que o dividem, uma que corre ao longo da costa, e outra dentro do rio, como se verá na descrição seguinte, daqui vem duvidar-se de qual destas barras se há de fazer a demarcação. Nesta ilha fora esteve uma vila, que se chamou Santo Amaro, de que já não há mais que a ermida do santo: mas fez-se outra na terra firme da parte do sul chamada vila da Conceição. Na ilha de dentro há duas povoações, uma chamada de Santos, outra de São Vicente como o rio, a qual veio edificar Martim Afonso de Souza em pessoa, e a povoou de mui nobre gente, que consigo trouxe, e assim floresceu em mui breve tempo. Daqui se embarcou no ano de 1533, para descobrir mais costa e rios dela, e foi correndo até chegar ao rio da Prata, pelo qual navegou muitos dias, e perdendo alguns navios e gente deles nos baixos do rio, se tornou para a sua capitania, donde foi chamado por Sua Alteza para o mandar por capitão-mor do mar da Índia, do que serviu muitos anos, e depois de governador da Índia, donde vindo a Portugal serviu muitos anos no conselho de estado até el-rei d. Sebastião, em cujo tempo faleceu. Pelo sertão nove léguas do rio de São Vicente está a vila de São Paulo, na qual há um mosteiro da Companhia de Jesus, outro do Carmo, e nos tem sinalado sítio para outro de nossa seráfica ordem, que nos pedem queiramos edificar há muitos anos, com muita instância e promessas, e sem isso era incitamento bastante termos ali sepultado na igreja dos padres da companhia um frade leigo da nossa ordem, castelhano, a quem matou outro castelhano secular, porque o repreendia que não jurasse, foi religioso de santa vida, e confirmou-o Deus depois de seu martírio com um milagre, e foi que assentando-se uma mulher enferma de fluxo de sangue sobre a sua sepultura ficou sã. Ao redor desta vila estão quatro aldeias de gentio amigo, que os padres da Companhia doutrinam, fora outro muito, que cada dia desce do sertão. São os ares destas duas capitanias frios e temperados, como os de Espanha, porque já estão fora da zona tórrida em 24 graus e mais; e assim é a terra mui sadia, fresca e de boas águas, e esta foi a primeira onde se fez açúcar, donde se levou plantas de canas para as outras capitanias, posto que hoje se não dão tanto a fazê-lo quanto a lavoura do trigo, que se dá ali muito, e cevada e grandes vinhas, donde se colhem muitas pipas de vinho, ao qual para durar dão uma fervura no fogo. Outros se dão a criação de vacas, que multiplicam muito, e são as carnes mais gordas que na Espanha, principalmente os cevados, que se cevam com milho zaburro, e com pinhões de grandes pinhais, que há agrestes, tão férteis e viçosos, que cada pinha é como uma botija, e cada pinhão, depois de limpo, como uma castanha, ou belota de Portugal. Cavalos há tantos, que vale cada um cinco ou seis tostões. Mas o melhor de tudo é o ouro, de que trataremos adiante, quando tratarmos do governador d. Francisco de Souza, que por mandado del-rei assistiu nas minas. (A) Destas vilas se foi há poucos anos um morador de nação castelhana, por ser muito cioso da mulher, que era portuguesa, natural de São Vicente, e muito formosa, a morar em uma ilha chamada de Cananéia, que fica mais ao sul, e chegada ao rio da Prata; mas pouco viveu sem seus receios, porque conhecida a fertilidade da terra, se foram outros muitos com suas famílias a morar também a ela, e se fez uma povoação tão grande como estoutras.


Ficha técnica da Fonte
Autor: Frei Vicente do Salvador
Data: 1627.
Referência: .
Acervo: .
Transcrição: .
link principal no BiblioAtlas: Frei Vicente do Salvador - A História do Brazil