Ações

O marco

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira

[O marco]

Marco de posse territorial do Brasil pela Coroa de Portugal, não mapeado no MBU.


Nomes históricos: Omarco; O marco; Omerco; O marquԐ; ∂e merck steenen.


Nome atual: Praia dos Marcos, município de São Miguel do Gostoso-RN.

  • O município de São Miguel do Touros foi criado em 16/7/1993, com território desmembrado do município de Touros-RN, e teve, em 5/5/2001, seu nome alterado para São Miguel do Gostoso.

Citações:

►Mapa (Albernaz, 1616) TERRA DE SANTA CRVZ A QVE VULGARMENTE CHAMÃO BRASIL, MS-126_item1/P12, Fol. #5, plotado, 'O marco', entre 'Piquitinga' (barra do Rio Punaú, no povoado de Pititinga, município de Rio do Fogo-RN) e 'Guamaré' (barra do Rio Guamaré).


►Mapa Y-54 (4.VEL Y, 1643-1649) De Cust van Brazil tusschen cabo Roques en Bay Cazay, plotado como uma linha norte-sul, com a frase 'hier is ∂e merck steenen: ∂at bÿ∂e ∂e kaptanie: van Malcan∂eren scheÿt:' (Aqui está a pedra limite que separa as duas capitanias*), entre 'obran∂iba:' (Ponta Santo Cristo, em São Miguel do Gostoso - RN) e 'kaÿsa:' (Caiçara do Norte-RN).

  • (*) Tradução em (Teensma, 2011), pg. 218. Câmara Cascudo (vide citação abaixo) e historiadores que o examinaram, identificaram esse marco como padrão de posse, e assim, não se trata de marco divisório de capitanias, no caso, Capitania do Rio Grande e Capitania do Ceará, conforme se depreende no mapa Y-54. As fontes bibliográficas e iconográficas neerlandesas, por equívoco, interpretam recorrentemente que o marco indicava o limite entre a Capitania do Rio Grande e Capitania do Ceará, e isso os levaram a estabelecer, próximo a este ponto geográfico, o limite dessas capitanias no Brasil Holandês. No mapa Y-54, na sua borda direita, está escrito 'Hier βegient ∂e Kapitanie van Sÿra:' (Aqui começa a capitania do Ceará), possivelmente na linha a oeste de 'kaÿsa:', na margem direita do delta do 'Rº grammamma:' (Rio Guamaré).


►Mapa (BAV-Vingboons, 1640) Reg.Lat.2106 f.021 # 7 BRASIL, plotado, 'O marquԐ', entre 'Ubŭrandŭba' (Ponta Santo Cristo, em São Miguel do Gostoso - RN) e 'Porto ytacoatiar' (Ponta dos Três Irmãos).


(Prevost, 1757), pg. 242:

"De la Baie de Petitigua, suivant Figueredo, la Côte continue de s'étendre à l'Ouest, tantôt haute, tantôt plus basse, & couverte de Bois en divers endroits, jusqu'à Omerco, qui en est à 25 lieues: il paroît, dit le même Ecrivain, que ce lieu faisoit autrefois la séparation des Portugais & des Castillans. Les Hollandois comptent six lieues de Pequetinga a la Pointe de Chugasu, ou Ugassumha, & font observer que les Ecueils de Saint Roc finissent près de cette Pointe. Elle est suivie, disent-ils d'une autre Pointe, qu'ils nomment Ubaranduba.

Figueredo compte, d'Omarco à Guamaraé, quinze lieues d'une Côte basse, entremêlée de quelques Collines de sable, derriere lesquelles on découvre sort loin, dans le Continent, de hautes Montagnes que les Indiens, nomment Buturuna.".


(Câmara Cascudo, 1930), pg. 147-149, relata a expedição, feita em 1928, ao local no litoral norte do Rio Grande do Norte onde estava o marco padrão de posse pela Coroa Portuguesa, descrevendo-o, e considerando-o, entre outras possibilidades históricas, como tendo sido chantado em 7 de agosto de 1501, por André Gonçalves, comandante da esquadra de três caravelas em missão de reconhecimento da Terra de Vera Cruz, na qual vinha, como cosmógrafo, Américo Vespúcio. Esse local é assim descrito:

"O lugar é chamado Marcos, fica a legoa e meia do Canto de Cima, no municipio de Touros. posição approximada 35º. 43'5W Greenwich, 5.º 5' Sul.".


(Terto de Amorim, 2015), no artigo "Um marco de pedra no caminho", estuda extensamente a cartografia e a bibliografia relacionada e esse marco, destacando seu papel na definição dos limites entre a Capitania Rio Grande e a Capitania do Ceará, no Domínio Holandês, e que, mais tarde, no século XX, influenciou as negociações para estabelecer o atual limite do Estado do Ceará com o Estado do Rio Grande do Norte.







Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "O marco". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/O_marco. Data de acesso: 22 de setembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página