Ações

S. Iuaõ (Engenho de roda d'água)

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


S. Iuaõ

Engenho de roda d'água com igreja, na m.e. do 'Iavapóatã' (Rio Jaboatão).


Natureza: Engenho de roda d'água com igreja.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARANAMBVCA.


Jurisdição: Cidade de Olinda, Freguesia de Santo Amaro do Jaboatão.


Nomes históricos: S. Iuaõ; St Juan ßatist (São João Batista); Engenho Bulhões.


Nome atual: Usina Bulhões - vide mapa IBGE Geocódigo 2607901 - Jaboatão dos Guararapes-PE.


Citações:

►Mapa PE-C (IAHGP-Vingboons, 1640) #40 CAPITANIA DE PHARNAMBOCQVE, plotado como engenho, 'Ԑ St Juan ßatist:', na m.e. do 'Rº. ∂jiboatao' - 'R.Janga∂a' (Rio Jaboatão).


►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, 'S. Iuaõ', na m.e. do 'Iaucpoata' - 'Iarapóata' - 'R. ᵭ Estremo' (Rio Jaboatão).


(Nassau-Siegen; Dussen; Keullen - 1638), pg.86:

"33. Engenho São João Batista, pertencente a Antônio de Bulhões, presente; é d'água e moente. ".


(Dussen, 1640), pg. 145:

"35) Engenho de Antônio Bulhões, é engenho d'água e mói. São lavradores:

Partido da fazenda 14 tarefas

Francisco Velho Romeiro 15

Francisco Coelho 18

Pero Álvares 2

Manuel da Guarda 7

Antônio de Sousa 4

Domingos Gonçalves Ferreira 6

Pedro Francisco Mayo 18

Agostinho João 12

Belquior Velho 7

_______________

103 tarefas".


(Relação dos Engenhos, 1655), pg. 236, informando a pensão que este engenho pagava à capitania de Pernambuco:

"Engenhos da freguesia de Santo Amaro do Jaboatão

...

- Que o engenho de Antônio de Bulhões pagava a três por cento.".


(Pereira da Costa, 1951), Vol. 1, ano 1566:

- pg. 368:

"... em 1637, além desses dois mencionados engenhos, contava a freguesia mais sete, assim denominados: ... S. João Batista, depois Bulhões, ...".

- pg. 372:

"Gaspar Alves de Pugas, porém, ficou com uma sorte de terras com 2.400 braças de extensão sobre 600 de largura, na qual tinha levantado o engenho S. João Batista, que trabalhava já em 1575, cuja propriedade vendeu a Pedro Dias da Fonseca, em 1581, e depois este a Bento Luís de Figueiroa e sua mulher d. Maria Feio, por escritura pública lavrada em 1 de maio de 1593.

Casando-se uma filha de Bento Luís, de nome d. Maria Feio, com Antônio de Bulhões, receberam estes em dote o referido engenho S. João Batista, o qual permanecendo por muitos anos em poder da família Bulhões, veio a tomar esta denominação, que ainda hoje conserva.".


(Cabral de Mello, 2012):

@ pg. 97, Os engenhos de açúcar do Brasil Holandês, I - Capitania de Pernambuco, Jaboatão:

«5) ANTÔNIO BULHÕES, ENGENHO DE. Invocação São João Batista. Sito à margem esquerda do Jaboatão. Engenho d'água. Pagava 3% de pensão. Já safrejava em 1575, tendo sido fundado por Gaspar Alves de Puga em terras da sua sesmaria. Em 1584, vendeu-o a Pero Dias da Fonseca, que em 1593 o revendeu a Bento Luís de Figueiroa, que o deu em dote à filha Maria de Figueiroa, casada com Antônio de Bulhões, natural de Viseu (Beira Litoral), o qual chegara a Pernambuco em começos do século XVII, na companhia do irmão, Gabriel de Bulhões, que, fâmulo do bispo capelão-mor d. Jorge de Ataíde, obtivera o ofício de feitor e almoxarife da Fazenda Real na capitania. Em 1623, o engenho estava arrendado a Gregório de Barros Pereira e produzia 10521 arrobas. Em 1635, Antônio de Bulhões, refugiado no Arraial do Bom Jesus, teve de pagar resgate de 2 mil cruzados, permanecendo sob a ocupação holandesa. Moía em 1637, altura em que o engenho foi incendiado por campanhistas, com a perda de 24 bois de carro. Moía em 1639, com nove partidos de lavradores que, com o partido da fazenda (catorze), forneciam 103 tarefas (5,15 mil arrobas). Preso em 1645 pelas autoridades holandesas, Bulhões aderiu depois à insurreição. Moía em 1655.(52)».

@ pg. 180, Notas:

«(52) FHBH, I, pp. 29, 86, 147, 236; RCCB, pp. 39; MDGB, p. 184; Johan de Laet e Frederick Schulenborch aos Estados Gerais, [s.l., s.d.], ARA, OWIC, loketkas 15 Staet Generaal, 60; VL, I, pp. 106, 256; HGP, p. 214; NP, I, p. 477; Pereira da Costa, "Origens históricas", p. 269; Cabral de Mello, O nome e o sangue, pp. 129-31..».






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "S. Iuaõ (Engenho de roda d'água)". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/S._Iua%C3%B5_(Engenho_de_roda_d%27%C3%A1gua). Data de acesso: 21 de março de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página