Ações

Capitania de Porto Seguro (MBU)

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira

Capitania de Porto Seguro

Capitania hereditária.


Natureza: Capitania.


Mapa: MARITIMA BRASILIÆ UNIVERSÆ.


Nomes históricos: Capitania de Porto Seguro; Pacata.

● Doada por D. João III de Portugal a Pero do Campo, cuja carta de candidatura à doação foi assinada em 27 de Maio de 1534.

● A capitania tinha 50 léguas de costa entre o rio Mucuri e o rio Poxim.

● Foi incorporada à Coroa (Capitania da Bahia) em 1761.

● Mais informações: Capitania de Porto Seguro @ Atlas Digital da América Lusa.

Citações:

(Nieuhof, 1682), pg. 31:

"Com esses limites, o Brasil é dividido pelos portugueses em 14 distritos, por eles denominados Capitanias, a saber: Pará, a primeira de todas, bem ao Norte, Maranhão, Ceará, Potigí ou Rio Grande, Paraíba, Pernambuco, Itamaracá, Sergipe d'El Rei, Quirimure ou Baía-de todos os Santos, Nhoe-Combe ou os Ilhéus, Pacata ou Porto-Seguro, Rio de Janeiro ou Niterói, São Vicente e Espírito Santo (23).".

►Honório, José Rodrigues, in (Nieuhof, 1682), Notas, pg. 31-32:

«(23) Essa divisão do Brasil, Nieuhof tirou-a de Marcgrave, pois os nomes estranhos que aí encontramos, como Nhoe-Combe e Pacata se encontram, também, na Historia Naturalis Brasiliae. Assim, escreve Marcgrave (Cf. LXX, p. 261): "Dividitur Brasília, intra hos limites, in certas Praefecturas (capitanias appellant vulgo Lusitani) & quidem vulgo in quatuordecim. Quarum prima versus Boream est Para, tequuntur dehinc ordine Maranhaon, Ciara, Potiyi vel Rio Grande, Paraiba, Itamaraca, Pernambuco, Quirimure vel Bahia de Todos los Santos, cujus metropolis S. Salvador, Nhoecombe vel os Ilheos; Pacata, vel Porto Seguro; Espiritu Santo; Nheteroya, vel Rio de Jeneiro, quem Ganabara vulgo vocant Brasilienses; & S. Vicente". Quirimure, de que fala Nieuhof, foi, também, por outros cronistas, referida. Assim, Soares (Cf. LXXXVI, p. 223) se refere a Caramurê e Varnhagen, em nota à p. 483, acha que o nome deve estar certo, porquanto os jesuítas o repetem, escrevendo-o Quigrigmuré. Acha que se trata do mesmo local a que se referiu Thevet (f. 129), com o nome de Pomte de Crouestimourou. Não andaria, porém, já neste nome a idéia da residência de Caramuru? pergunta o Visconde de Porto Seguro. Teodoro Sampaio (Cf. LXXXI, p. 148) afirma que Quimimuras significa gente silenciosa; e esclarece que é o nome de uma tribo que habitou primitivamente o Recôncavo da Baía de Todos os Santos. Ayres de Cazal (XXVI, p. 100) escreve: "Aos antigos Quinimuras, primeiros povoadores memoráveis do contorno da enseada de Todos os Santos, sucederam os Tapuias, pouco depois expulsos pelos Tupinás, vindos do Sertão, para onde se retiraram os segundos, que jamais cessaram de inquietar os seus vencedores". Mais explícito e preciso já havia sido Cardim (Cf. XIX, p. 179), que diz: "Outros que chamão Quirigmã, estes, forão senhores das terras da Bahia e por isso se chama a Bahia Quigrigmurê". Batista Caetano, em nota à p. 234, do trabalho do mesmo cronista, sugere a hipótese acerca da etimologia do nome.

Restam, ainda, Pacata e Nhoe-Combe. A primeira, segundo Saint-Adolphe (Cf. LXXIX, p. 187), refere-se a um rio de Porto Seguro.

No Vocabulário da Língua Brasílica publicado por Plínio Ayrosa, (n. 261) S. Paulo, 1938, regista-se para a Capitania de Ilhéus o nome indígena "Nhuecĕbê".».






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Capitania de Porto Seguro (MBU)". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Capitania_de_Porto_Seguro_(MBU). Data de acesso: 17 de novembro de 2019.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página