Ações

Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
 
(2 edições intermediárias de 2 usuários não apresentadas)
Linha 1: Linha 1:
Ponto localizado em [[-24.183385999999999, -46.788713000000001]]
+
{{Verbete|nome=Lana |sobrenome=Sato |verbete=A [[Vila de Itanhaém]], conhecida também por [[Vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém]], foi elevada a vila em 1561 por [[Francisco de Morais]].
  
Foi [[Vila]] entre 1561 até 1624 com o nome de [[Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém]] .
+
[[Frei Gaspar da Madre de Deus|Madre de Deus]], no livro ''Memórias para a História da Capitania de São Vicente'', afirma que, apesar do que diziam, a [[vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém]] não foi fundada por [[Martim Afonso de Sousa]], já que o donatário saiu de São Vicente em 1533 e aos 22 de abril de 1555 ainda não existia povoação no território que depois estaria localizada a  [[vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém|vila de Itanhaém]] <ref>Gaspar da Madre de Deus. Memórias para a história da Capitania de São Vicente. Brasília: Senado Fedreal, 2010. p.123 </ref>. [[Frei Gaspar da Madre de Deus|Frei Gaspar]] aponta que, em abril de 1561, Itanhaém passou de povoação para a classe de vila e que tal vila foi criada por [[Francisco de Morais]], loco-tenenete de [[Martim Afonso de Sousa]]<ref>Gaspar da Madre de Deus. Memórias para a história da Capitania de São Vicente. Brasília: Senado Fedreal, 2010. p.124</ref>.  
Foi [[Cabeça de Capitania]] entre 1624 até 1808 com o nome de [[Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém]] .
+
  
 
+
Como resultado do [[litígio entre as Casas de Vimieiro e Monsanto]] e a expulsão da  [[Condessa de Vimieiro D. Mariana de Sousa Guerra]] de suas vilas de [[vila de São Vicente|São Vicente]], de [[vila de Santos|Santos]], de [[vila de São Paulo|São Paulo]] e de [[vila de Mogi das Cruzes|Mogi das Cruzes]], a ''Vila de Itanhaém''' em 1624 foi condecorada como cabeça de capitania, depois da [[Condessa de Vimieiro D. Mariana de Sousa Guerra]] ter sido expulsa de suas vilas <ref>[[LEME, Pedro Taques de Almeida Paes. História da Capitania de São Vicente. Brasília: Senado Federal, 2014]]. p.101 </ref>.  A partir desta data os domínios da [[condessa de Vimieiro]] passaram a ser conhecidos como [[Capitania de Itanhaém]] e os territórios do [[conde de Monsanto]] ficaram sendo chamados de [[Capitania de São Vicente]] <ref>SILVA, Maria Beatriz Nizza da; BACELLAR, Carlos de Almeida Prado; GOLDSCHMIDT, Eliana Maria Rea; NEVES, Lucia Maria Bastos Pereira Das (Org). História de São Paulo colonial. São Paulo: Editora UNESP, 2009. </ref>.}}
 
+
[[Category:População e Território ]]
Foi [[Povoação]] entre 1532 até 1561 com o nome de [[Nossa Senhora do Itanhaém]] .
+
[[Category:Capitania de Itanhaém]]
Foi [[Vila]] entre 1561 até 1808 com o nome de [[Nossa Senhora do Itanhaém]] .
+
[[Category:Cidades e vilas]]
Foi [[Cabeça de Capitania]] entre 1642 até 1679 com o nome de [[Vila de Nossa Senhora do Itanhaém]] .
+

Edição atual tal como 11h29min de 5 de janeiro de 2016

por Lana Sato


A Vila de Itanhaém, conhecida também por Vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém, foi elevada a vila em 1561 por Francisco de Morais.

Madre de Deus, no livro Memórias para a História da Capitania de São Vicente, afirma que, apesar do que diziam, a vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém não foi fundada por Martim Afonso de Sousa, já que o donatário saiu de São Vicente em 1533 e aos 22 de abril de 1555 ainda não existia povoação no território que depois estaria localizada a vila de Itanhaém [1]. Frei Gaspar aponta que, em abril de 1561, Itanhaém passou de povoação para a classe de vila e que tal vila foi criada por Francisco de Morais, loco-tenenete de Martim Afonso de Sousa[2].

Como resultado do litígio entre as Casas de Vimieiro e Monsanto e a expulsão da Condessa de Vimieiro D. Mariana de Sousa Guerra de suas vilas de São Vicente, de Santos, de São Paulo e de Mogi das Cruzes, a Vila de Itanhaém' em 1624 foi condecorada como cabeça de capitania, depois da Condessa de Vimieiro D. Mariana de Sousa Guerra ter sido expulsa de suas vilas [3]. A partir desta data os domínios da condessa de Vimieiro passaram a ser conhecidos como Capitania de Itanhaém e os territórios do conde de Monsanto ficaram sendo chamados de Capitania de São Vicente [4].


[editar] Referências

  1. Gaspar da Madre de Deus. Memórias para a história da Capitania de São Vicente. Brasília: Senado Fedreal, 2010. p.123
  2. Gaspar da Madre de Deus. Memórias para a história da Capitania de São Vicente. Brasília: Senado Fedreal, 2010. p.124
  3. LEME, Pedro Taques de Almeida Paes. História da Capitania de São Vicente. Brasília: Senado Federal, 2014. p.101
  4. SILVA, Maria Beatriz Nizza da; BACELLAR, Carlos de Almeida Prado; GOLDSCHMIDT, Eliana Maria Rea; NEVES, Lucia Maria Bastos Pereira Das (Org). História de São Paulo colonial. São Paulo: Editora UNESP, 2009.



Citação deste verbete
Autor do verbete: Lana Sato
Como citar: SATO, Lana. "Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Nossa_Senhora_da_Concei%C3%A7%C3%A3o_de_Itanha%C3%A9m. Data de acesso: 24 de outubro de 2020.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página