Ações

Paracatu do Príncipe

De Atlas Digital da América Lusa

(Diferença entre revisões)
(Criou página com '{{Verbete|nome=Mariana|sobrenome=Barcelos|verbete=Fundada em 1798, a ''Vila de Paracatu do Príncipe'' permaneceu com a mesma configuração até o fim do período colonial. ...')
 
 

Edição atual tal como 15h12min de 10 de maio de 2016

por Mariana Barcelos


Fundada em 1798, a Vila de Paracatu do Príncipe permaneceu com a mesma configuração até o fim do período colonial. Para incentivar a criação de gado para região mineradora, a Coroa lusa concedeu diversas sesmarias na região na primeira metade do século XVIII. Além disso, 4 caminhos importantes para as Minas passavam pela área e isso incentivou o estabelecimento de povoados na região. Segundo Waldemar de Almeida Barbosa[1], o arraial de Paracatu foi criado entre 1736 e 1744. Em 1744, José Rodrigues Fróis encontrou ouro na região. A descoberta gerou um novo afluxo populacional para área. Em 1745, os moradores do arraial de Paracatu solicitaram a criação de uma vila no local. O pedido foi rejeitado pela Estado português. Em 1757, os moradores pediram novamente à Coroa lusa a elevação do arraial a vila. Apesar das opiniões contrárias das municipalidades das Minas Gerais, em 1799, foi fundada a Vila de Paracatu do Princípe[2].


[editar] Referências

  1. BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995, p.236-238.
  2. BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995, p.236-238.



Citação deste verbete
Autor do verbete: Mariana Barcelos
Como citar: BARCELOS, Mariana. "Paracatu do Príncipe". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Paracatu_do_Pr%C3%ADncipe. Data de acesso: 4 de abril de 2020.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página