Ações

Aíamá de Baixo

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


[Aíamá de Baixo]

Engenho de roda d'água com igreja, plotado com o símbolo, sem nome no BQPPB, na m.e. do 'Aíamá' (Arroio Caité).


Natureza: Engenho de roda d'água com igreja.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARANAMBVCA.


Jurisdição: Vila Antiga de Igarassu.


Nomes históricos: Engenho Aiama; Engenho Aiama de Baixo (Anjama ∂ĭ ßaxo, Aniana de Baxo).


Nome atual: destruído - situado na área conhecida como Congari, município de Igarassú-PE.


Citações:

►Mapa IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA - plotado como 'Ԑ Anjama ∂ĭ ßaxo', na m.d. do 'R. Anjama'.


►Mapa IT (Orazi, 1698) PROVINCIA DI ITAMARACÁ, plotado como 'Aniana de Baxo', na m.d. do 'R Aniana'.


►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, sem nome, na m.e. do rio 'Aiama'.


(Nassau-Siegen; Dussen; Keullen - 1638), pg. 88-89:

"JURISDIÇÃO DE IGUARASSU

...

Os engenhos aí situados são estes:

2. Engenho Aiama, sob a invocação de Nossa Senhora do Rosário, pertence a Manuel Jácome Bezerra, que ficou conosco; mói. ".


(Dussen, 1640), pg. 156:

"Na jurisdição de Igarassu

Na jurisdição de Igarassu há os seguintes engenhos e lavradores, moendo na forma abaixo:

...

80) Engenho Aiama de Baixo, pertencente a Manuel Jácome Bezerra, é engenho d'água e mói. São lavradores:

Simão Dias Rodrigues 10 tarefas

João d'Oliveira 8

João Barbosa 10

Francisco Coelho 15

Partido da fazenda 16

Miguel Marinho 12

_______________

71 tarefas".


(Cabral de Mello, 2012):

@ pg. 74, Os engenhos de açúcar do Brasil Holandês, I - Capitania de Pernambuco, Igaraçu:

«2) AIAMA DE BAIXO. Invocação Nossa Senhora do Rosário. Sito à margem esquerda do Inhamã. Engenho d'água. Em 1623, André Coelho era seu proprietário, moendo apenas cem arrobas. Após a invasão holandesa, há referência ao "engenho de Aiama, que era de André Coelho de Faria", mas em 1637 é arrolado como pertencente a Manuel Jácome Bezerra, provavelmente rendeiro. Moía em 1637 e 1639, com cinco lavradores e o partido da fazenda (dezesseis) num total de 71 tarefas (3550 arrobas). Abandonado em 1646. Como o Aiama de Cima, foi adquirido a André Coelho após restauração por João Fernandes Vieira, que o revendeu ao cunhado, Francisco Berenguer de Andrade. Em 1663, André Coelho era devedor de 16086 florins à WIC; e Manuel Jácome Bezerra, de 4178 florins. Evacuado em 1646.(23)».

@ pg. 176, Notas:

«(23) FHBH, I, pp. 31, 89, 156; RCCB, pp. 52, 152, 154; MDGB, p. 84; NP, I, p. 44; Gonsalves de Mello, João Fernandes Vieira, II, p. 205..».

Citação deste verbete

Autor do verbete: Levy Pereira

Como citar:PEREIRA, Levy. "Aíamá de Baixo". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/A%C3%ADam%C3%A1_de_Baixo. Data de acesso: 25 de março de 2019.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)