Ações

Cidade da Bahia

De Atlas Digital da América Lusa

Cidade da Bahia

Geometria Ponto

Histórico

Denominação Início Término
Cidade da Bahia
Governo > Cabeça de Comarca
1548 1808
Cidade da Bahia
Populacao > Cidade
29/03/1549 1808
Santa Casa de Misericórdia de Salvador
1549 1808
Jesuítas
1549 1808
Bahia
Religiao > Diocese (Sede)
25/02/1551 1808
Beneditinos
1581 1808
Beneditinos
1581 1808
Carmelitas
1586 1808
Franciscanos
1587 1808
François Pyrard de Laval
1601 antes de
Johannes Gregorius Aldenburgk
1623 antes de
Restauração da Bahia
1624 1808
Deposição do Vice-rei Marquês de Montalvão
1641 1808
Motim do Terço Velho
1648 1808
Sta Clara do Desterro
1665 1808
Capuchinhos Italianos
1666 antes de
Capucinhos Franceses
1670 1808
Revolta dos Frades
1671 1808
Francisco Coreal
1685 antes de 1690
Gabriel Dellon
1685 antes de
Revolta de Soldados do Terço Velho
1688 1808
François Froger
1695 antes de 1696
Revolta de escravos gege
1699 1808
William Dampier
1699 antes de
Anônimo (Journal d'um voyage sur les costes...)
1703 antes de
Capuchinhos Italianos
1705 1808
Revoltas do Maneta
1711 1808
Amédée François Frézier
1712 antes de 1714
Le Gentil la Barbinais
1714 antes de 1717
Recolhimento dos Perdões
1723 1808
Revolta do Terço Velho
1728 1808
Ursulinas das Mercês
1735 1808
Freiras ursulinas nas Mercês
1735 1808
Ursulinas da Soledade
1739 1808
Ursulinas Franciscanas da Lapa
1747 1808
Recolhimento de São Raimundo
1761 1808
Jemima Kindersley
1764 antes de
Nossa Senhora do Rosário - Regimento Velho da Bahia
1765 1808
Nossa Senhora do Rosário - Nossa Senhora da Vitória da Cidade da Bahia
1767 1808
Nossa Senhora do Rosário dos Pretos - Igreja e Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Praia da Cidade da Bahia
1768 1808
Nossa Senhora do Rosário dos Pretos - Igreja da Praia da Cidade da Bahia
1770 1808
Inconfidência Baiana
1798 1808
John Turnbull
1800 antes de
Virgem Nossa Senhora do Rosário e Santíssima Trindade - Água de meninos - filial da Matriz do Pilar - na Cidade da Bahia
1801 1808
Thomas Lindley
1802 antes de 1803
George Mouat Keith
1805 antes de
Revoltas escravas
1807 1808
O'Neil e Smith
1808 antes de

A Cidade da Bahia foi fundada em 29 de março 1549 por Tomé de Sousa, no litoral da América Portuguesa. Como outras cidades, tende a expressar em seu traçado a evolução da dinâmica política, econômica, social e cultural que moveu o empreendimento colonial. Por um largo período, entre os principais agentes modeladores do uso do solo estavam o Estado e a Igreja Católica. Teve um papel político de suma importância, pois nossas primeiras vilas do litoral foram erguidas, nos propósitos simultâneos de firmar a posse da terra, de fixar o colono, de convocar as tribos e vigiar a costa ante ronda das naus corsárias.[1]

Ao se iniciarem a construção da cidade da Bahia, levou-se muito em consideração a ventilação que a região escolhida proporcionava aos habitantes, pois principalmente, se os ares acompanhassem o Sol, se os terrenos fossem alôs e permitissem o escoamento fácil das águas. Assim, continuou a crescer Salvador, determinada a ser orgânica e racional na forma e no traçado [2] A principal regra seguida, no que se refere à geomorfologia, diz respeito ao lugar onde a cidade deveria ser construída: a cidade deveria ser posta em situação de fácil defesa contra os indígenas ou contra os inimigos vindos do mar. [3], o que em muitos casos favoreciam a sua construção em cima de morros ou lugares mais altos.

Ela foi erguida próxima a falha geológica presente na região, dividindo-a assim em Cidades Alta e Baixa. Tal ideia foi posta em prática, juntamente com os cercamentos que rodeavam a cidade, como forma de proteger o território da cidade de invasões.[4]

Em 1667, Salvador foi elevada à sede do único arcebispado da América portuguesa, pois nela era realizada a reunião da frota anual de comércio no período de 1649 a 1765. A vila foi estruturada para servir como um forte, e apesar do último ataque holandês ao Recôncavo (1649) e a capitulação dos holandeses em Pernambuco (1654), a cidade se fortificava cada vez mais, protegendo os muros que a cercavam. [5]


Lista de Edificações da Cidade da Bahia


Referências

  1. Omegna, 1961
  2. (Martinez e Bertutti, 1997, p.96)
  3. (Omegna, 1961, p.11)
  4. VASCONCELOS, Pedro de Almeida. Salvador: Transformações e permanências (1549-1999). Ilhéus: Editus, 2002.
  5. (Vasconcelos, 1997).



Citação deste verbete
Autor do verbete: Rafaela Araújo
Como citar: ARAÚJO, Rafaela. "Cidade da Bahia". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Cidade_da_Bahia. Data de acesso: 19 de dezembro de 2018.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página