Ações

Grão-Pará e Maranhão

De Atlas Digital da América Lusa

por Luiza Moretti
Este site foi criado em uma Universidade Federal (UnB) e produz conteúdo de qualidade para todos (com a participação de diversos professores de outras instituições federais!).
Valorize esse patrimônio!
Diga não aos cortes!


Compreendia a região norte do atual Brasil, e parte da região nordeste. Sua ocupação se iniciou, verdadeiramente, a partir de 1612, com a ocupação francesa da Ilha de São Luís e a construção de um forte. Os portugueses retomaram para seu governo a ilha em 1615.[1]

Da ilha saíram expedições para explorar melhor e se fixarem em alguns pontos até o Amazonas. Em 1616 fixaram-se num ponto e construíram um forte sob o nome de Forte do Presépio. À sua volta formou-se um povoado, chamado Feliz Lusitânia.

Em 1621 foi criado o Estado do Maranhão e Grão Pará, com Capital em São Luís e um território muito grande que compreendia até os atuais estados do Amazonas, Roraima e Amapá. Esse estado era separado e independente do Estado do Brasil, e se correspondia diretamente com a coroa. Outras capitanias menores compunham o Estado, e respondiam ao governo deste, como as capitanias do Cabo Norte, Ilha Grande de Joanes, Cametá, Caeté, Xingú, entre outras.

A criação desse estado se deu para um melhor domínio militar e econômico da região. Subsistiam, principalmente, da busca por drogas do sertão e da pesca, além da agricultura de subsistência. Os religiosos também foram aproveitados para a catequização dos indígenas, utilizados como mão de obra no início e depois como ajudantes e povoadores.

Houve muita disputa com relação a administração do Estado, que possuía um território muito grande com grandes dificuldades de abastecimento e comunicação, e com capital em um extremo. Alguns defendiam a mudança da capital para Belém, o que ocorreu de forma muito rápida, não sendo bem adaptada e voltando a capital a São Luís.

No início do século XVIII foi criada a capitania do Piauí, desmembrada da capitania do Maranhão, mas integrando o mesmo Estado. Em 1751 a capital passou a ser definitivamente Belém, e seu nome passou de Estado do Maranhão e Grão-Pará para Grão Pará e Maranhão, indicando, no nome, primeiramente onde localizava-se a capital, dando mais prestígio, assim, àquele ponto. Em 1755 foi criada a Capitania do Rio Negro, desmembrada do Pará, mas também integrando o território desse Estado.

Pouco tempo depois, por volta do ano de 1772, o Estado do Grão-Pará e Maranhão se divide tornando-se dois Estados separados, um com capital em Belém, o outro com capital em São Luis.


Referências

  1. sobre as datas, ver São Luís e GADELHA, Regina Maria A. Fonseca



Citação deste verbete
Autor do verbete: Luiza Moretti
Como citar: MORETTI, Luiza. "Grão-Pará e Maranhão". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Gr%C3%A3o-Par%C3%A1_e_Maranh%C3%A3o. Data de acesso: 16 de setembro de 2019.



Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)

Informar erro nesta página