Ações

Iequea (riacho)

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Iequea

Rio, afluente m.e. do 'Taijĩbĩpiô' / 'Teiĩbĩpió' (Rio Tejipió).


Natureza: riacho.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ.


Capitania: PARANAMBVCA.


Nome atual: Rio Jequiá.


Nomes históricos: Iequea (Yequia, Jiquiá; Gequiá).

Citações:

►Mapa PE-C (IAHGP-Vingboons, 1640) #40 CAPITANIA DE PHARNAMBOCQVE, plotado, sem nome, afluente m.d. do 'Rº. ∂os Ԑƒƒoga∂os' (braço direito do Rio Capibaribe).

►Mapa IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA, plotado, sem nome, afluente m.d. do 'Rº. ∂os Ԑƒƒoga∂os' (braço direito do Rio Capibaribe).

►Mapa PC (Golijath, 1648) "Perfecte Caerte der gelegentheyt van Olinda de Pharnambuco MAURITS-STADT ende t RECIFFO", desenhado, sem nome, afluente m.e. do rio onde está o Passo dos Afogados, identificado como 'Pas de Effogados ...'.

►Mapa ASB (Golijath, 1648) "Afbeeldinge van drie Steden in Brasil", desenhado, sem nome, afluente m.d. do rio onde está o Passo dos Afogados, identificado com o número 2, '2. De pas vande Effogados mede een Sodanige plaets.'.

Na sua m.e está a casa identificada com o número 3, «'t huÿs van Bastiaen Carualho.».

►Mapa PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, sem nome, afluente m.e. do 'Tajiibipio' - 'Teubipí'.

(Melo, 1931):

@ pg. 197:

"GEQUIÁ — (Pov. no Mun. do Recife) — Ant. Yequeá, "o cesto, o covo de apanhar peixes ou aves". (B. C. 587) — A. C.

Iki-á, o covo aberto. Prefiro a grafia Jiquiá, como se usa em outros pontos do Brasil — M. M.".

@ pg. 207:

"JIQUIÁ — (Arrabalde no Mun. do Recife) — Grafia mais preconizada de Giquiá — M. M.".

(Pereira da Costa, 1951), Volume 2, Ano 1598, pg. 132-133:

"A sua denominação vem de um riacho do mesmo nome que passa na localidade, e que depois de receber as águas do riacho Vermelho, que nasce no lugar Paul, deságua no rio Tejipió. Originàriamente Yequia na língua tupi, se deriva, segundo Batista Caetano, de Y-iquiá, o que entra, apanha, o cesto, o covo de apanhar peixes ou aves. Freire de Alemão crê que o nome é corrupção de jaquá, lucuma gigântea, ou que vem de giquié, giqui, de apanhar peixes; e por fim de gequi, covo, e a, demonstrativo, ou juquiá, peixe de água doce, de que trata Gabriel Soares no seu Tratado Descritivo do Brasil em 1587. Teodoro Sampaio não registra o vocábulo; mas Alfredo de Carvalho, que o fez, escrevendo Gequiá, segue a Batista Caetano.".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Iequea (riacho)". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Iequea_(riacho). Data de acesso: 29 de março de 2020.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página