Ações

PARECER DE SALVADOR DE SOUZA REBELO, OUVIDOR DA CAPITANIA DO GRÃO-PARA, EXECUTOR DA DEVASSA

De Atlas Digital da América Lusa

Autos da Devassa contra os Índios Mura


Senhor,

Da devassa que tirei, certidão do reverendo padre vigário provincial da Companhia de Jesus deste Estado, consta de que a nação dos Muras tem feito várias mortes a uns, e flechado a outros no rio da madeira, sem que para estas hostilidades a nossa nação lhe dê a mais leve causa, termos em que conforme o direito e leis de Vossa Majestade estão nos de lhe dar justa guerra, principalmente sendo a dita nação incapaz de se lhe pedir satisfação, e ela muito menos de a dar. Enquanto ao gentio do rio dos Tocantins suposto pela testemunha o padre frei Antônio da Palma, que depõem de fato se justifique, que vindo de passagem o feriram gravemente, e mataram a alguns, que com ele vinham, e pela testemunha Diogo Pinto da Gaya se testifique também as hostilidades, que fazem nações que apontam, contudo esta testemunha não depõem com as circunstâncias, que são necessárias para semelhante caso, e pareceu-me ser preciso preceder mais alguma averiguação que feita, e concordando com o que as testemunhas depõem se lhe deve dar também guerra e sobretudo mandará Vossa Majestade o que for servido. Belém do Pará, outubro 13 de 1738. O Ouvidor Geral Salvador de Souza Rebello



Ficha técnica da Fonte
Data: 1738.
Referência: INFORMAR REFERÊNCIA.
Acervo: INFORMAR ACERVO.
Transcrição: Manoel Rendeiro.
link principal no BiblioAtlas: Autos da devassa contra os índios Mura