Ações

Pta Iaragea

De Atlas Digital da América Lusa

Coleção Levy Pereira


Pta Iaragea

Pontal entre 'R. das Lagoas' e a 'Pta. de Ioçara' (Ponta de Pajuçara ou Ponta Verde).

Assinalada com símbolo de porto.


Natureza: pontal ou cabo.


Mapa: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS MERIDIONALIS.


Capitania: PARANAMBVCA.


Nomes históricos: Pta Iaragea; Pta. ∂Ԑ Jaragua; Pª: Sergoa:; ponta de Geraguá; Iaragua; Pª. ∂Ԑ Iaragua; Ponta de Iaraguara; Porto de Iaragua; Porto Jaragoá; porto Velho dos Franceses (possivelmente).


Nome atual: Ponta de Jaraguá, Porto de Maceió.

Citações:

►Mapa RSF (Albernaz, 1626/1627) RIO DE SÃO FRANCISCO, plotado como porto, assinalado com a letra F, 'F - Porto de Iaragua com sua sonda', com as indicações de sonda, 10 na entrada e 8 na enseada ao norte, junto à ponta.

►Mapa PE (Albernaz, 1626/1627) CAPITANIA DE PERNÃOBVCO, plotada, 'Iaragua', no extremo sul deste mapa, entre a barra das lagoas e a barra do 'Maxigua' (Rio Meirim).

►Mapa (Albernaz, 1640) fol. 62, 'Rio Sirigipe Emque entraõ naos Grosas Cõ piloto da Terra―Santo Atº. pequeno', imagem PT-TT-CRT-162-m0111, ubicada, 'Ponta de Iaraguara bonissimo Sorgidouro pera huã hamada', entre a barra do 'Rio doçe' (Riacho Reginaldo) e a barra do rio 'Santo atº. pequeno' (Rio meirim).

►Mapa BA (IAHGP-Vingboons, 1640) #36 CAPITANIA DO BAHIA DE TODOS SANCTOS, plotada, 'Pª. ∂Ԑ Iaragua' (Ponta de Jaragua), ao norte da barra do 'R Alagoas' (Barra das Lagoas).

►Mapa BRASILIA (IAHGP-Vingboons, 1640) #38 CAERTE VAN BRASILIA plotada, 'Pta ∂Ԑ Iaragua' (Ponta de Jaragua), entre a barra do 'Rº. ∂os Allagoas' e 'R. St. Antº. mirin' (Rio Meirim).

►Mapa PE-M (IAHGP-Vingboons, 1640) #39 CAPITANIA DO PHARNAMBOCQVE, plotada, 'Pta ∂Ԑ Iaragua.', entre a barra do 'Rº. ∂os Allagoas.' e 'R. ∂ocԐ' (Riacho Doce ou Riacho Grota da Alegria).

►Mapa Y-25 (4.VEL Y, 1643-1649) De Cust van Brazil tusschen Rio Vassabara ende Rio St. Antonij Mimijn, plotada, 'Pª: Sergoa:', entre o 'P Francis:' (Porto do Frances) e a barra do 'Rº St. Antonÿmÿmÿn' (Rio Meirim).

(Sousa, 1587), CAPÍTULO XVIII, Em que se declara a costa do cabo e rio do Ipojuca até o rio de São Francisco, pg. 60:

"Do rio de Santo Antônio Mirim ao porto Velho dos Franceses são três léguas, onde eles costumam ancorar com as suas naus e resgatar com o gentio. Do porto Velho dos Franceses ao rio de São Miguel são quatro léguas, que está em dez graus, no qual entram navios da costa, e entre um e outro entra no mar o rio da Alagoa, onde também entram caravelões, o qual se diz da Alagoa, por nascer de uma que está afastada da costa, ao qual rio chamam os índios o porto Jaraguá. Do rio de São Miguel ao porto Novo dos Franceses são duas léguas, defronte do qual fazem os arrecifes que (vão correndo a costa), uma aberta por onde os franceses costumavam entrar com suas naus, e ancoravam entre o arrecife e a terra por ter fundo para isso, onde estavam muito seguros, e daqui faziam seu resgate com o gentio.".

  • Nota: O Porto Velho dos Franceses possivelmente situava-se na pequena enseada entre a 'Pta Iaragea' e 'Pta. de Ioçara', pois o porto Jaraguá é acima nominalmente citado.

(Dussen, 1640), pg. 139:

"Os rios, ancoradouros e baías com boa disposição para abrigar navios, ao longo da costa de Pernambuco, são os seguintes:

...

6) Ponta de Jaraguá, duas milhas ao Norte de Alagoas, é também uma baía situada atrás de arrecifes e onde navios grandes podem ficar abrigados, sendo que foi aí que Dom Luís de Rojas y Borja desembarcou a sua tropa; ... '.

(Margrave, 1640), ITINERÁRIO, pg. 201-202, registra que os caminhos:

- da 'Ponta de Ioçara (Juçara)', que 'Aqui começa uma grande enseada junto ao passo de Jaraguá', até a 'Ponta de Jaraguá', percorre-se em 1/4 h;

- da 'Ponta de Jaraguá', que 'Aqui não há água, mas, pode-se abrir cacimbas; a água é meio salobra, o pasto sofrível um pouco para o interior atrás da mata.', até o 'Rio das Lagoas', percorre-se em 1 h de viagem.

(Calado, 1648), Volume 1:

@ CAPÍTULO II - No qual se trata da entrada dos Holandeses na vila de Olinda, e como conquistaram toda a Capitania de Pernambuco, e quem foram os que ajudaram nesta empresa, citando eventos do segundo semestre de 1635, pg. 68:

"Passados cinco meses pouco mais, ou menos, que Matias de Albuquerque se alojou na Alagoa, chegou à sua barra Dom Luiz de Roxas e Boria com o socorro que Sua Majestade nos mandava, e vinha por Mestre de Campo General e Tenente do Marquês da Vaiada, que estava eleito para vir por General da real armada, com que Sua Majestade tinha resolvido de mandar restaurar esta terra, trouxe consigo dois mil homens entre Castelhanos, e Portugueses, muitos dos quais eram bisonhos, e os outros já práticos, e experimentados na guerra, que já eram soldados.

Desembarcou Dom Luiz de Roxas e Boria na ponta de Geraguá, e deitou a gente em terra, e algumas peças de artilheria, e a frota foi passando para a Baía, para onde também se partiu Matias de Albuquerque para se embarcar (como se embarcou) para o Reino, segundo a ordem que lhe veio de Sua Majestade.".

@ CAPITULO III - Das coisas que sucederam em Pernambuco depois da chegada de Dom Luiz de Roxas até a hora de sua morte, pg. 69:

"Tanto que se divulgou a nova da chegada de Dom Luiz de Roxas à ponta de Geraguá logo o Mestre de Campo dos Holandeses Cristóvão Artixof, que estava por Governador na fortaleza de Paripoeira com mil e quinhentos homens, temendo como soldado velho, e prático na milícia, que poderia Dom Luis de Roxas vir marchando por o sertão, e senhoreando-se de toda a campanha para lhe impedir os mantimentos, e adjutório, ...".

(Câmara Cascudo, 1956), pg. 165:

"A ponta de Iaragea é naturalmente Jaraguá. (38) Próxima, a de Juçara, Jussara.

Nem sinal onde surgiria a linda Maceió.

...

(38) "Do Porto Velho dos Franceses ao rio de S. Miguel são quatro léguas, que está em dez graus, em o qual entram navios da costa e entre um e outro entra no mar o rio da Alagoa, onde também entram caravelões, o qual se dis da Alagoa, por nascer de uma que está afastada da costa, ao qual rio chamam os índios o PORTO JARAGOÁ. Gabriel Soares de Sousa. TRATADO DESCRITIVO DO BRASIL, 32. São Paulo, 1938.".






Citação deste verbete
Autor do verbete: Levy Pereira
Como citar: PEREIRA, Levy. "Pta Iaragea". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/Pta_Iaragea. Data de acesso: 31 de março de 2020.


Baixe a referência bibliográfica deste verbete usando

BiblioAtlas recomenda o ZOTERO

(clique aqui para saber mais)



Informar erro nesta página